quinta-feira, janeiro 28, 2010

A MINHA CIDADE – Cidade FM de Roupa Nova 30 anos depois

O boletim Radioescuta Peças Raras, transmitido às quintas pela manhã, ao vivo, na Malaveiaweb, destaca a relação entre Roupa Nova e o surgimento da Cidade FM.

Ouça como Mariozinho Rocha descobriu o grupo no final dos anos 80. Até então o Famks era uma banda de baile.


Na esteira da participação do Roupa Nova na comemoração dos 25 anos de sucesso na Cidade, programação especial levada ao ar na também extinta Rádio Sucesso em 25 de janeiro de 2005, eu e Edu Malavéia lembramos de bons momentos da emissora que mudou a cara da FM no Brasil. Bem a propósito do espírito da série que será veiculada durante todo este ano por auqi, Edu fala da Cidade dele (Cidade FM de BH) e eu, da minha.

Sobre o Roupa Nova
Com 30 anos de sucesso e a mesma formação, o Roupa Nova (RN) renova seu público. Segundo pesquisa feita no site do grupo, 75% dos que acompanham o trabalho da turma atualmente são jovens de 15 a 25 anos.
Ao longo dessas três décadas, o RN já teve músicas temas em mais de 25 novelas.


O novo trabalho, lançado no final do ano passado, Em Londres, foi gravado em Abbey Road, o mesmo estúdio onde os Beatles se consagraram. Em meio a um repertório de novas músicas, merece destaque a emoção destinada à regravação de She’s Living Home, do quarteto que revolucionou a música mundial (que você também ouve no boletim).

Anteriormente, o RN já havia dado voz a outros dois sucessos dos Beatles no DVD Acústico 1: Yesterday e Hey Jude

A nova fase do grupo teve início com o lançamento do selo independente em 2004, justamente para a produção e lançamento do 1º DVD. À época, contratados da Universal, não obtiveram apoio da gravadora para a empreitada. Então, resolveram se desligar e criar o próprio selo.

Em tempo, Roupa Nova Em Londres foi contemplado com o Grammy Latino 2009 na categoria Melhos Álbum Pop Contemporâneo Brasileiro.

Ouça também:
- Entrevista com Paulinho, integrante do Roupa Nova, no Revista CBN

Veja mais:

Bastidores da gravação em Abbey Road

quarta-feira, janeiro 27, 2010

Agostinho Teixeira dá mais um furo na Bandeirantes AM


Vanessa Teodoro, editora de Cidades do site eBand foi quem me alertou sobre mais esta bela prestação de serviço do repórter investigativo Agostinho Teixeira. Abaixo, o texto publicado no site:

A loja de fogos de artifícios que explodiu em setembro do ano passado em Santo André, na Grande São Paulo, voltou a funcionar em um novo endereço.

Quatro meses após a tragédia que matou duas pessoas e deixou centenas desabrigadas, a reportagem da Rádio Bandeirantes descobriu o novo local utilizado por Sandro Luiz Castellani, dono da loja, para estocar e vender fogos de artifício.

Ouça aqui a reportagem de Agostinho Teixeira apresentada nesta segunda na Bandeirantes AM.

Sem saber que a conversa estava sendo gravada, a mulher de Sandro disse ao repórter Agostinho Teixeira que os artefatos são montados em uma garagem e que a empresa oferece até serviço de entrega de fogos em domicilio.

Explosão

O acidente aconteceu na Rua Américo Guazelli, no bairro das Silveiras, em 24 de setembro de 2009. A explosão deixou dois mortos, doze feridos, destruiu quatro casas e danificou outras vinte e seis. Os carros que estavam estacionados no local foram arremessados sobre imóveis.

Mais sobre Agostinho Teixeira:
- O Jornalismo Invetigativo da rádio que briga por você

Veja mais:
Galeria de fotos da explosão

Crédito: foto de Adriano Lima/Futura Press

terça-feira, janeiro 26, 2010

O Sucesso da Cidade

No post anterior dei início à série que vai ser a marca deste ano de 2010 aqui no blog Peças Raras. Em meio a outros arquivos históricos e atuais do rádio, os 30 anos da Cidade FM em São Paulo serão comemorados com a publicação de áudios históricos da extinta emissora na série "A Minha Cidade".

A entrevista veiculada em 23 de setembro de 1988 no programa O Sucesso da Cidade, que tinha em Celso Giunti seu apresentador oficial e era levado ao ar entre as 6 e 7 da noite, revelou o incrível êxito desta FM também em São Paulo. Com a publicação, alcançamos ontem o maior número de acessos do blog, chegando próximo a 350 page views.

Em comemoração a este verdadeiro sucesso da cidade, resolvi publicar a segunda parte da entrevista, que estava em uma fita cassete que "estourou" assim que a coloquei no gravador. Devidamente cortada e colada com durex como nos velhos tempos, rebobinei a fita e a recuperei, a fim de extrair o áudio da entrevista histórica.


Ouça aqui a segunda parte da entrevista veiculada em 23 de setembro de 1988 no Sucesso da Cidade, com os primeiros profissionais da Cidade FM em São Paulo.
(se o player não abrir ou quiser baixar este arquvivo, clique aqui)

Para aproveitar o momento, coloco aqui a capa da fita Cidade 88, que trazia os maiores sucessos apresentados na emissora. Na foto, os locutores e profissionais que formavam aquela inesquecível "turma da Cidade".




sexta-feira, janeiro 22, 2010

A Minha Cidade - Há 3 décadas nascia a FM jovem

25 de janeiro é tradicionalmente o aniversário de São Paulo. Mas para quem gosta de rádio e mora nessa "paulicéia desvairada" há um bom tempo, a data é inesquecível também por marcar o aniversário de uma outra Cidade.



Originalmente nascida no Rio de Janeiro, a Rádio Cidade FM, do grupo Jornal do Brasil, aportou em território paulistano há 30 anos, exatamente em 25 de janeiro de 1980. Foram 21 anos de sucesso inquestionável, até ser forçada a mudar de nome em 2001 (transformou-se na Sucesso FM).

Para comemorar essas 3 décadas em que o rádio jovem ganhou definitivamente sua linguagem em FM (leia o texto "Explosão do FM" e entenda o que eu quero dizer), a partir de hoje, semanalmente, vou disponibilizar aqui áudios de entrevistas, vinhetas, coberturas de shows e outras peças raras da minha coleção pessoal relacionadas à Cidade FM. Também sugiro que você faça uma busca no blog e ouça áudios que já foram disponibilizados anteriormente.


Ouça, nesta primeira edição da série "A Minha Cidade", trecho de uma entrevista com alguns dos principais locutores da primeira fase da Rádio Cidade de São Paulo.
(se o player não estiver visível ou quiser baixar o arquivo, clique aqui)

O bate-papo, que contou também com a presença de um dos responsáveis pela criação do padrão da emissora, Carlos Townsend, foi apresentado no programa Sucesso da Cidade de 23 de setembro de 1988, em comemoração ao dia do Rádio (25) daquele ano.

A MINHA CIDADE
Durante os anos 1980 eu vivia a 96,9, sintonia da extinta emissora que atualmente abriga a Rede BandNews.

O êxito da Cidade deve-se ao fato de ter respeitado cada uma das praças nas quais esteve presente. De acordo com Carlos Townsend, uma preocupação ao criar a emissora em São Paulo foi a de fazer uma rádio comandada por paulistanos para paulistanos. O mesmo se deu em outras regiões e, ao mesmo tempo, a FM conseguiu adotar um mesmo padrão em todos os lugares em que tinha uma emissora, mas manteve no ar locutores muito identificados com a população local. É por este motivo que resolvi dar à esta série especial o nome de "A Minha Cidade"

Eu fui um fã de carteirinha da Rádio Cidade. Acompanhei a evolução e mudanças na programação sem deixar de ser fiel à frequência. Não me importava muito se as músicas apresentadas eram dançantes em determinado período ou populares demais em outro. O que me atraía era realmente o clima de alegria transmitido 24 horas pela inigualável equipe de locutores e pelo excelente nível técnico presente nas trilhas, vinhetas e inovações constantes.




A Cidade foi a última emissora que conseguiu aglutinar toda a minha família em torno do aparelho de rádio. Aliás, comecei a ouvir em um rádio gravador portátil Toshiba e terminei em um avançado 3 em 1 Sony daqueles tempos (parecidos com os das fotos acima). Em casa, ligávamos o som na sala, ao acordar, e só desligávamos por volta de 7 da noite, quando começava a fatídica Voz do Brasil. Às 8 da noite, o aparelho voltava a funcionar e fazia páreo à TV, mesmo na hora do jornal e da novela.

Quando eu ia para o quarto, a sintonia permanecia em meu radio gravador. Era hora de sonhar com amores platônicos e dormir com "Love Songs".

A minha ligação com a emissora também era presencial. Diariamente, eu, do alto dos meus 14 anos, ía - acompanhado de minha irmã - ao prédio que abrigava o Banco Francês e Brasileiro, na Av. Paulista, 1294 - 15º andar. Lá éramos muito bem recebidos e tratados pelos locutores, sobretudo pelo Tavinho Ceschi (na foto, ao lado de Bob Floriano) e pela Sandra Groth.

Se hoje sou locutor, devo à Rádio Cidade esta influência. E se posso dizer que me realizei neste sentido, afirmo que sim por um motivo simples. Quando trabalhei na Vanguarda FM, de Sorocaba, cheguei a ser comparado ao estilo do Tavinho Ceschi, meu grande ídolo da adolescência.


Ouça aqui um pouco do meu trabalho na Vanguarda FM, a primeira emissora em que trabalhei como locutor/operador.
(se o player não estiver visível ou quiser baixar o áudio, clique aqui)

Quero transformar este acervo que vou disponibilizar aos poucos em um canal exclusivo. Que tal você contar como era "a sua cidade", ou seja, a Cidade FM da região em que mora. Se tiver áudios para compartilhar, serão muito bem-vindos.

Você pode participar deste especial pelo email contato@pecasraras.com ou enviando o seu comentário aqui pelo blog.

Crédito:
Foto do estúdio da Rádio Cidade extraída do blog de Álvaro Taniguti

quinta-feira, janeiro 21, 2010

Centenário (do) Corinthiano


Muito tem se falado do centenário corinthiano que acontece agora em 2010. Mas este é o ano de comemorar também os 100 anos do corinthiano dos corinthianos Adoniran Barbosa. O artista popular adotou o time do povo e teve até carteirinha de sócio do alvinegro do Parque São Jorge.


Ouça um momento histórico do rádio. Osmar Santos em seu inconfundível "futebol show" utiliza composição de Adoniran como tema para a conquista corinthiana do Campeonato Paulista de 1982. A final contra o tricolor paulista no Morumbi aconteceu em 12 de dezembro, pouco menos de um mês após a morte do compositor de Trem das Onze.
(se o player não estiver visível ou quiser baixar este áudio, clique aqui)

João Rubinato, nome verdadeiro do poeta do povo, nasceu em 6 de agosto de 1910. Boêmio, morador do tradicional bairro do Bexiga, no centro de São Paulo, Adoniran viveu e morreu pobre, mas soube como poucos partilhar sua alegria com os amigos.
O autor de Saudosa Maloca foi o contraponto à ideia lançada por Vinicius de Moraes de que São Paulo seria o túmulo do samba. O maior representante do samba de Sampa já foi e continua a ser gravado por artistas dos mais diferentes sotaques e estilos.
O primeiro emprego do intérprete da “terra da garoa” foi como entregador de marmita. Seguiram-se longos anos até ele se tornar um dos mais famosos radioatores cômicos da paulicéia com seu personagem Charutinho nas Histórias das Malocas tão bem escritas por Osvaldo Moles.


Acompanhe a abertura de uma edição do mais famoso humorístico assinado pelo conceituado Osvaldo Moles nos anos de ouro do rádio. História das Malocas foi levado ao ar pela Rádio Record de São Paulo.
(se o player não estiver visível ou quiser baixar este áudio, clique aqui)

Mas Adoniran queria mesmo era ser reconhecido como cantor, o que também começa a acontecer na década de 50.

Nas composições, cantava o que lia nos jornais ou vivia em seu cotidiano. Deu voz aos “vagabundos”, aos menos favorecidos. Isto é fácil de se perceber ao assistir ao vídeo postado no YouTube em que Adoniran Barbosa conversa com Elis Regina em um bar do bairro do Bexiga. O encontro aconteceu em 1978 e você confere aqui.



Tanto quanto no bairro do Bexiga,Adoniran Barbosa sempre se sentiu em casa no ambiente radiofônico. Zé Nogueira, programador musical da Rádio Eldorado, recentemente contou a relação do artista com a emissora.


Ouça um trecho do programa São Paulo de Todos os Tempos (atual Brasil em Todos os Tempos), comandado por Geraldo Nunes, em que Zé Nogueira fala sobre o “sofá do Adoniran”.
(se o player não estiver visível ou quiser baixar este arquivo, clique aqui)

Adoniran morreu em 23 de novembro de 1982, aos 72 anos de idade.
Para o centenário do artista, uma agenda cultural tem início ainda nesta semana. Acompanhe a programação extraída de coluna publicada pelo jornalista César Giobbi, no Jornal Metro:

”A casa de show Casa de Francisca, nos Jardins, abre a série hoje, quinta, dia 21, até o dia 27, com recitais inspirados nele e em sua obra, com nomes como Passoca (dia 23) e Paulo Vanzolini (dias 24 3 25). E o Sesc Vila Mariana coloca em cena, nos dias 23, 24 e 25, Cristina Buarque e Oswaldinho da Cuíca, relembrando os sucessos do compositor. O ano Adoniran tem ainda outros projetos confirmados: está marcada a entrada no ar de um site sobre Adoniran, no dia 25 de janeiro; sua biografia, escrita por Celso Campos Jr., será relançada em fevereiro, pela Editora Globo; o CD Adoniran 100 anos, com Zélia Duncan, Arnaldo Antunes, Beth Carvalho, Wanderléa, Mart’nália e Marcia Castro cantando suas músicas chega ao mercado depois do Carnaval. Para o segundo semestre, estão previstos o lançamento de um Almanaque Adoniran, com sua vida contada em quadrinhos, e Por Toda a Minha Vida, docudrama da Globo sobre a vida do compositor. E, até o próximo ano, sua filha e herdeira, Maria Helena, quer abrir a Casa Adoniran, expondo toda a sua memória.”
A Casa Adoniran será um museu e abrigará, entre outras peças raras, a carteira de sócio do Corinthians e scripts de programas de rádio que contaram com a participação do artista.
A vida de Adoniran também deve virar documentário e musical no teatro, por Rubens Ewald Filho.

Com extensa programação 2010 é o Ano Adoniran.

Ouça a participação de César Giobbi na Rádio Bandeirantes, antecipando as comemorações.


Leitura curiosa:
- Antonio Roque Citadini fala da relação entre o Corinthians e o corinthiano Adoniran no texto O Inesquecível Adoniran, de março de 2004

terça-feira, janeiro 19, 2010

Blog Adverdriving relembra início da Eldorado FM

Paulo Levi (foto) enviou uma mensagem para mim em que comunica a criação de um blog sobre comunicação e cultura automotiva, o Adverdriving.

Levi, publicitário de formação e de carreira, mantém o espaço desde o final do ano passado.

No post mais recente, publicado nesta segunda, ele faz uma espécie de "resgate sentimental" da Rádio Eldorado no período entre os anos 50 e 70, girando ao redor da belíssima vinheta composta por Walter Santos, a qual foi usada nos primeiros anos da Eldorado FM.


Ouça Paulo Levi em comentário sobre a emissora no início dos anos 70.
(se o player não estiver visível, clique aqui)

O link para relembrar os áureos tempos da Rádio Eldorado no blog é:
http://adverdriving.blogspot.com/2010/01/dia-de-luz-festa-de-sol.html

Conheça melhor:


Paulo Levi explica como surgiu e qual a proposta do recém-criado Adverdriving.
(se o player não estiver visível, clique aqui)

sexta-feira, janeiro 15, 2010

Saudosa Memória: Muíbo César Cury faria 81 anos neste dia 15

divulgação

Muíbo César Cury faria 81 anos de idade nesta sexta, dia 15 de janeiro. Faria, se não tivesse pregado uma peça em todos nós. O comunicador saiu de férias no final do ano e não retornou aos microfones da Rádio Bandeirantes AM.

Ouça aqui o boletim Radioescuta Peças Raras de hoje, que traz um pouco sobre a grande contribuição deste artista para o rádio brasileiro. Em destaque, a música tema da Copa de 74, que foi gravada pelos Incríveis.

A carreira artística de Muíbo César Cury começou de forma precoce.
Em 1946, aos 17 anos de idade, em Duartina, cidade natal dele, já comandava a locução no serviço de alto falante da quermesse local. Por essa época também começou a compor músicas, tendo em Teddy Vieira um de seus mais importantes parceiros. É da dupla a moda de viola João de Barro, que ficou conhecida na voz de Sérgio Reis e de outros tantos artistas sertanejos. A composição conta mais de 70 gravações.

A primeira emissora de rádio em que trabalhou foi a Rádio Clube de Marília. Muíbo havia sido descoberto por Omar Cardoso ainda em Duartina. Convidado para ir à Marília fazer um teste, não hesitou. Mas foi apenas dois anos depois que foi chamado para o elenco da emissora.

Em São Paulo, começou no elenco de radioteatro da extinta América. Logo em seguida, em 1953, transferiu-se para a Rádio Bandeirantes, emissora em que permaneceu na ativa até sua morte em 26 de dezembro de 2009. Em paralelo, a partir de 1999, foi contratado pela Rádio Cultura AM de São Paulo para comandar o Raízes do Brasil, das 5 às 7 da manhã.

Na tradicional rádio do bairro do Morumbi, Muíbo fez de tudo. No início dos anos 1970, ao lado de Ronaldo Batista, dividiu a narração do programa líder de audiência da época, o Patrulha Bandeirantes.

Muíbo substituiu Barroso da dupla Barreto e Barroso, após 18 anos da morte deste. Em 1º de setembro de 1987, Barreto e Barroso entraram no ar no lugar da dupla Tonico & Tinoco na condução de programa destinado à música sertaneja de raiz transmitido pela Bandeirantes. Na emissora que foi eleita como a que mais tem a cara, o saudoso comunicador também se destacou como apresentador de auditório e como locutor noticiarista (1ª Hora e Jornal em 3 Tempos). Na década de 1960, comandou o programa Varig, Dona da Noite. Foi o dono do horário da meia-noite às 4 da manhã por um longo período.

Muíbo era o funcionário mais antigo do Grupo Bandeirantes quando faleceu em 26 de dezembro de 2009. Cargo que passa a ser ocupado pelo contemporâneo Salomão Ésper.

Ouça mais:
- acompanhe a edição especial do programa Memória com 2 horas de duração

Ouça uma história completa levada ao ar em dezembro de 1972 e reapresentada no programa Memória, do jornalista Milton Parron.

Veja também:
- Assim era Muíbo

- Morre Muíbo César Cury, da Rádio Bandeirantes

"GUAGUEJAMOS" (nossa seção Erramos): em vez de Minas Gerais, como eu disse no boletim, Duartina fica no interior de São Paulo.

quinta-feira, janeiro 14, 2010

Morcegão destaca Beatles 65, LP retirado de catálogo

De segunda a sábado, às 5 da tarde, a Morcegão FM apresenta um LP na íntegra. Logo mais, nesta quinta, o destaque é um vinil dos Beatles que circulou por pouco tempo: Beatles 65.


Saiba mais:
Beatles'65 é o nome do quarto LP dos Beatles lançado pela gravadora brasileira, EMI-Odeon, em 1965. A capa trazia uma foto do show feito em Washington em 1964 embora o álbum não fosse ao vivo e nem trouxesse músicas da época do show.
Todas as faixas foram extraídas do álbum Beatles For Sale, com exceção de duas faixas que não foram incluídas no Brasil, "Baby's in Black" do lado A e "Every Little Thing" do lado B. O disco, no Brasil, ganhou a numeração MOFB-317.[1] Quando o álbum, Beatles For Sale (numeração na época SMOFB-480, a letra S signifca "estéreo"), foi lançado no Brasil, este álbum foi tirado de circulação. A ordem das faixas no Beatles '65 também foram trocadas comparando-as com as faixas do Beatles For Sale.

•Lado 1:
1. Rock And Roll Music
2. Kansas City-Hey, Hey, Hey, Hey! [Medley]
3. I'm a Loser
4. No Reply
5. Mr. Moonlight
6. I'll Follow the Sun
•Lado 2:
1. Eight Days a Week
2. Honey Don't
3. What You're Doing
4. Everybody's Trying To Be My Baby
5. I Don't Want To Spoil The Party
6. Words Of Love

(fonte: Wikipedia)

terça-feira, janeiro 12, 2010

Rock'n Roll on the web, Baby. Morcegão FM no ar


Ele ficou conhecido principalmente por conduzir o Arquivo 89 na melhor fase da então Rádio Rock de São Paulo.

Depois de pouco mais de 20 anos de rádio, nos quais, além da 89 FM, passou por emissoras como Nova FM, na fase jovem da emissora (anos 1990) e mais recentemente pela Kiss FM, na qual esteve presente na inauguração, o locutor Renato Morcegão está no ar com uma empreitada que merece destaque na rede.

A radioweb Morcegão FM alia conteúdo inteligente e programação rock de primeira qualidade. Para isso, coloca no ar uma grade fixa de segunda a sexta, em horário comercial:

08H00 às 10H00 - testes com LPs
10H00 às 12H30 - Programação normal - classic rock
12H30 às 14H30 - Pastelaria da D Mitiko -anos 80 e 90
14H30 às 17H00 - Programação normal - classic rock
17H00 às 17H50 - Programa Vinil

Aos sábados, a emissora dedica 24 horas ao melhor do rock nacional.

Das 10 da manhã às 5 da tarde, Morcegão permanece ao vivo. O destaque neste período vai para o excelente programa Pastelaria da Dona Mitiko.


Ouça a explicação do comunicador sobre a importância de Dona Mitiko em sua vida profissional.
(se o player não estiver visível ou quiser baixar este áudio, clique aqui)

Outro diferencial é o Programa Vinil. De segunda a sábado, às 5 da tarde, os ouvintes acompanham obras raras lançadas em LP.

Para esta semana, os bolachões que podem ser conferidos são:

Quarta, 13/01/2010: Creedence Clearwater Revival - Cosmos Factory
Quinta: The Beatles 65 - LP raro retirado de mercado
Sexta: AC-DC - Flick of the switch
Sábado: Rock Grande do Sul

Para acessar a Morcegão FM: http://www.morcegaofm.com.br

MSN e E-mail: contato@morcegaofm.com.br

twitter - @morcegaofm

Morcegão FM é sinônimo do bom e velho rock'n roll.

Para ser ouvida em alto e bom som.

25 anos de Rock in Rio

Há 25 anos, em janeiro de 1985, aconteceu o Rock in Rio I. Resolvi reunir alguns episódios que destacaram o tema aqui no nosso Peças Raras, desde 2007.



Em 26 de agosto de 2008, o festival que agitou o Brasil a partir de 11 de janeiro de 1985 voltou a ser destaque. Desta vez, nosso blog repercutiu entrevista veiculada na Band News FM sobre livro que fez um balanço do Rock in Rio.

Ouça aqui o papo entre a editora de cultura da emissora, Tatiana Vasconcelos, e o autor do livro Metendo o Pé na Lama.

Saiba mais:
Medina e equipe transformaram a América do Sul no continente da guitarra, imagem que ficou eternizada no logotipo do Rock in Rio. Mas, apesar da experiência com grandes shows internacionais no Brasil, como Barry White, Julio Iglesias e Frank Sinatra, a Artplan teve um grande prejuízo com o festival que transformou a cidade maravilhosa na capital mundial do rock.

Esta é uma das revelações de Cid Castro em Metendo o Pé na Lama. Em entrevista à Bandnews FM, durante o lançamento da obra na 20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, Cid afirmou que um dos motivos que contribuiu para isto foi o embargo das obras feito pelo então governador do Rio, Leonel Brizola. Era uma briga política, já que os Medina tinham feito a campanha para o Moreira Franco. Segundo o autor, o festival só aconteceu pela intervenção de Tancredo Neves, que virou o presidente – apesar de não ter chegado a assumir - durante aquele grande evento.

Para quem era jovem naquele ano de 1985, no entanto, o que ficou na memória foram 90 horas de música em 10 dias de festival. Mais de um milhão de pessoas acompanharam de perto shows nacionais de artistas como: Lulu Santos, Blitz, Kid Abelha, Barão Vermelho e Paralamas do Sucesso. Nomes do primeiro time do rock internacional – AC/DC, Iron Maiden, Ozzy Osbourne e outros – também marcaram presença pela primeira vez no Brasil.

sábado, janeiro 09, 2010

Pela Madrugada: Malavéia, o ouvinte gaiato

A primeira vez que alguém me falou sobre o comunicador Beto Brito foi justamente o meu amigo, ouvinte malcomportado (para quem não sabe ele tem um livro chamado "Plenimúsica - Memórias de um ouvinte de rádio malcomportado")e radialista Edu Malavéia.

Pois bem, vira e mexe, o próprio - ou, dependendo da classificação etária, impróprio - liga e deixa uma participação gravada no programa das madrugadas da Globo AM, Planeta Rei nas Ondas da Globo.

Foi o que aconteceu esta semana, quando Malavéia contou uma história bastante curiosa em relação a um gato preto que não trouxe boa sorte ao casal de vizinhos dele.

Ouça aqui a história sobre o Gato Preto, narrada por Malavéia na madrugada da Rádio Globo.
(se o player não estiver visível ou quiser baixar este áudio, clique aqui)

Abaixo, detalhes extraídos do site da Globo AM sobre o comunicador Beto Brito


Apaixonado por rádio desde menino, Beto Brito começou sua vida profissional como analista de sistemas. Em 1998, nasceu o programa “Planeta Rei”, dedicado às músicas do Rei Roberto Carlos, na Rádio Imprensa FM. Quando a Imprensa encerrou suas atividades, Beto transferiu o programa para a Rádio Metropolitana e passou a tocar canções de diversos outros artistas. No dia 29 de maio, as madrugadas da Globo ganharam este novo comunicador, que mexe com o coração dos ouvintes.

De segunda a sábado, de 0h05 a 3h, ele comanda o “Planeta Rei nas Ondas da Globo”. No programa, os ouvintes escolhem as músicas, ouvem piadas teatralizadas e se encantam com as curiosidades que Beto conta sobre as diversas canções. Beto também apresenta um o quadro Planeta Rei, às 15h30, no programa “Tarde Legal”, com David Rangel, para o Rio de Janeiro.

Contato: planetarei.betobrito@radioglobo.com.br

Ouça a saudação de Beto Brito (do site da Globo AM)

quinta-feira, janeiro 07, 2010

Radioescuta Peças Raras relembra Verão da Cidade FM do Rio de 1988


Capa do LP VERÃO CIDADE com charge dos locutores / 1988

Para celebrar a estação mais quente do ano, a peça rara em destaque nesta edição do bate-papo semanal com Edu Malavéia é o tema de verão de 1988 da Rádio Cidade FM do Rio de Janeiro.


Conheça um pouco da história e ouça aqui "Verão Cidade", uma versão do clássico de Bobby McFerrin "Don't Worry Be Happy".
(se o player não estiver visível ou quiser baixar este áudio, clique aqui)

A autoria deste tema de verão é de Arnaldo Brandão e Tavinho Paes. A interpretação é dos locutores que trabalhavam na emissora à época: Memê, Luiz Carlos, Adriana Riemer, Luciano, Christovam, Cristina Cavedagne, Jairo Roberto, Carlos Alberto, Mylena Ciribelli e Cacá.




Contracapa do LP com foto dos locutores. Clique em cima para ampliar

quarta-feira, janeiro 06, 2010

É Raro e Humano: Primeiros Erros de 2010

Para iniciar o ano com bom humor, ouça a primeira edição do quadro É Raro e Humano de 2010. Para quem ainda não conhece, trata-se do bloco em que juntamos alguns erros transmitidos ao vivo em emissoras de rádio. Vale ressaltar que, em geral, tratam-se de homenagens a essas emissoras, que são as que mais ouço. É claro que deslizes deste tipo acontecem o tempo todo em qualquer transmissão. É sabido que boa parte dos ouvintes ficam na torcida para ouvir erros assim.

Ouça aqui os "Primeios Erros" de 2010
(se o player não estiver visível, clique aqui)

Para começo de conversa tem a locutora Sandra Cabral enrolando a língua na Leitura de Domingo da Rádio Eldorado.

Em seguida, o apresentador do Jornal de Amanhã, da Bandeirantes AM, Cesar Sacheto, ao comentar sobre o fato de apenas 39% aprovarem a gestão do prefeito de São Paulo, inverte a situação e diz que "menos da metade da população está desgostosa com a gestão de Gilberto Kassab".

O tempo fecha ainda para Laura Ferreira que troca o Brasil pelo nome do locutor. Segundo ela, a chuva continua "na maior parte do Barão".

Para terminar, esses primeiros erros de 2010, ainda na Bandnews, a repórter Fernanda Correia também escorrega nos números e afirma que o prejuízo da cidade de Angra dos Reis é de cerca de míseros "215 reais", quando, na verdade, conforme Eduardo Barão afirma em outro momento da programação, esse número equivale a aproximadamente "214 MILHÕES de reais".

segunda-feira, janeiro 04, 2010

O Rádio AM em Feira de Santana, interior da Bahia

O radiojornalista e pesquisador de rádio Emerson Azevedo produziu, no final de dezembro de 2009, um documentário jornalístico que aborda a "Força do Rádio Am na cidade de Feira de Santana", interior da Bahia, a 107 Km de Salvador. No vídeo, ele entrevista profissionais consagrados e uma ouvinte sobre os aspectos que fazem do rádio Am a mídia mais forte da cidade.



Segundo Emerson, a ideia é antiga, mas a motivação de realizá-la neste período surgiu quando o curso de Jornalismo online 2.0, cursado por ele entre novembro e dezembro, solicitou como última atividade um documentário jornalístico de tema livre a ser produzido no período de duas semanas. Logo ele iniciou a produção lançando mão dos elementos necessários para realizar o trabalho tais como: cronograma, roteiro, storybord, definição do tema, personagens, artes e fotos e a solicitação aos escolhidos e autorização de entrevistas e imagens. A metodologia aplicada para o tempo disponível dividiu-se em, uma semana de organização teórica e uma semana para filmagem, edição e publicação.

O radiojornalista ressalta que a produção foi corrida por conta do pouco tempo, mas valeu a pena, pois foi possível perceber a satisfação e receptividade dos profissionais em falar do assunto. Ele pontua que, ao finalizar a edição, entregou uma cópia do vídeo a cada participante, em seguida o publicou na comunidade de vídeos YouTube e anexou ao blog do curso de jornalismo 2.0 promovido pelo Centro Knight para o Jornalismo nas Américas da Universidade do Texas em Austin.

O rádio em feira de Santana é referência em várias cidades do Brasil e já revelou talentos para a comunicação do país, a exemplo do repórter João Santos, atualmente na TV Record. João na década de 80 trabalhou em Feira na Rádio Nordeste Fm com o nome artístico de Jonny.

A força de influência e mobilização da mídia radiofônica é resumida pelo pesquisador numa frase: “A mídia que manda na cidade é o rádio Am, você respira, todo mundo ouve. É impressionante a força que o rádio tem aqui”, finaliza.

Fonte:
Assessoria de Comunicação e Imprensa do Portal Terra de Lucas – contato@terradelucas.com.br / imprensa.terradelucas@yahoo.com.br