segunda-feira, junho 27, 2011

O Bandeirante Otávio Gabus Mendes e o Exame de Consciência de Zé Paulo de Andrade

Foto: André Rizzatto
Zé Paulo de Andrade faz "Exame de consciência" na transmissão da Pinacoteca.
Na ocasião, em 6 de maio, a Rádio Bandeirantes completou 74 anos.

A partir de hoje, em edições quinzenais, você acompanha um Exame de Consciência com alguns dos principais nomes que integram a equipe da Rádio Bandeirantes. Mas para entender melhor do que estamos falando, é preciso voltarmos ao final dos anos 30.

Naquele tempo,Otávio Gabus Mendes foi um nome de fundamental importância para que a Bandeirantes se tornasse a mais popular emissora paulista.

Contratado no final de 1938 para a direção artística da rádio, ele lança diversas atrações criativas.

Uma das metas parece ter sido estimular a aproximação entre os ouvintes e os profissionais da casa. A interatividade passa a ser a palavra-chave desta relação.

No Bandeirante Repórter, os ouvintes concorriam a prêmios, ao enviar informações sobre fatos curiosos à emissora.

Em Às Quartas-feiras com o Tio Juca, Otávio Gabus Mendes vira um Dr. Sabe Tudo e responde a perguntas inusitadas.

Bem Que Vi se propõe a radiofonizar as reclamações enviadas à Rádio Bandeirantes.

Ainda no começo de 1939, no Teatro para Você (destaque da próxima Interferência, no próximo sábado, no "Você é Curioso?"), o radialista destina o final do programa para a leitura da correspondência enviada pelos fãs ao elenco do radioteatro, que tem a oportunidade de agradecer, de viva-voz, os ouvintes.

Em 10 de julho daquele ano de 39, mais uma novidade estreia na Rádio Bandeirantes. Apresentada às segundas-feiras, quinzenalmente, a atração recebe o nome de Exame de Consciência. Idealizado e apresentado por Otávio Gabus Mendes, o programa reúne os integrantes do elenco da emissora que fazem, ao microfone, uma autocrítica. É um momento destinado para que os comunicadores falem sobre o papel que desempenham na equipe e comentem a produção da emissora como um todo.

Em 6 de maio deste ano, quando a Bandeirantes completou 74 anos no ar, eu estive na transmissão feita diretamente da Pinacoteca do Estado de São Paulo. Lá, propus aos atuais profissionais da emissora que fizessem um Exame de Consciência. A partir de hoje, em edições quinzenais, você vai acompanhar depoimentos em que eles analisam o que representam para a Bandeirantes e o que a Bandeirantes proporciona à vida deles.

Para inaugurar esta série de Exames de Consciência, você fica com a palavra de José Paulo de Andrade. Confira no player abaixo:

  Exame de Consciência #1 - Zé Paulo by pecasraras

OUÇA MAIS:
- Confira aqui o Sofá Bandeirantes com o apresentador do Pulo do Gato.



domingo, junho 26, 2011

Deu no UOL: "Na geral" convida Pelé para a estreia


A versão para a televisão do "Na Geral", programa da rádio Bandeirantes, já tem o seu lançamento praticamente confirmado para setembro. O "praticamente" entra por conta das mudanças que as emissoras costumeiramente realizam e anunciam de última hora. Nisso, ninguém é melhor que ninguém, porque todas se comportam da mesma maneira.

Mas voltando ao "Na Geral", o piloto foi aprovado pela direção da casa e outros cinco ainda serão realizados até o lançamento para se chegar aos ajustes necessários. A atração entrará depois do "Terceiro Tempo", de Milton Neves, nas noites dos domingos, e terá partes gravadas e ao vivo. Beto Hora, um dos apresentadores, já conversou com Pelé, e ele se colocou à disposição para participar da estreia. Isto só não vai acontecer se aparecer um outro compromisso mais urgente em sua agenda.

O programa, que mescla humor e informação, trabalha com o título do rádio, mas ainda não existe uma definição sobre isso.

Por:
FLÁVIO RICCO
Colunista do UOL


Acrescentando: Pelé é fã incondicional da versão radiofônica do Na Geral. Algumas vezes, o "rei" ligou, em outras, foi ao estúdio do programa que é apresentado de segunda a sexta, das 6 às 8 da noite, pela Rádio Bandeirantes. Quando conversa com Beto Hora, diz que é o Edson e que quer falar com o Pelé.

Peças Raras:

Ouça aqui a secretária eletrônica de Beto Hora, com a imitação da voz de Pelé.:

Divirta-se com o comercial exclusivo criado para o Café Pelé, apresentado diariamente no programa:

quinta-feira, junho 23, 2011

Presidente da Jovem Pan em entrevista na Bandeirantes

Atualizado em 24.06.2011

Em 2004, o GPR - Grupo dos Profissionais do Rádio - colocou no ar uma campanha publicitária criada pela agência Le Pera e produzida pela Lua Nova. Com o tema "uma mídia sem concorrência", os spots reúnem dois publicitários concorrentes para entoar um jingle que faz parte da imaginação de boa parte dos brasileiros.

A ideia é mostrar que o rádio não tem concorrência em itens como abrangência, alcance, audiência etc. e também que é um meio de comunicação que está sintonizado com o que há de melhor para o ouvinte, o que faz com que algumas vezes concorrentes estejam unidos.

A campanha do GPR pode ser acompanhada aqui.



Imagem extraída do site da Rádio Bandeirantes
Mas você deve estar se perguntando o que esta introdução tem a ver com o título desta postagem. Pois bem, nesta sexta, no Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes, José Paulo de Andrade, Salomão Ésper, Joelmir Beting e Rafael Colombo receberam o presidente da Jovem Pan, Antônio Augusto Amaral de Carvalho, o Seu Tuta.

Clique aqui para ouvir a conversa.

Em pauta, assuntos polêmicos, como a obrigatoriedade da transmissão da Voz do Brasil e a demora na digitalização do rádio.

A repórter Renata Perobelli, da Jovem Pan, acompanhou Seu Tuta e aproveitou para ouvir o presidente do Grupo Bandeirantes, Johnny Saad. Acompanhe aqui.

Ouça mais:Há um ano, Tuta foi entrevistado do programa Biblioteca Sonora, da USP FM, em função do lançamento do livro Ninguém Faz Sucesso Sozinho: bastidores dos anos de douro da TV Record e da Rádio Jovem Pan. Esse bate-papo também pode ser ouvido, ao clicar aqui.


quarta-feira, junho 22, 2011

Peça por Peça #2: Dr. DD e Skank premiados em Cannes

Em um primeiro momento, soa estranho uma banda brasileira ter se destacado em duas categorias do Festival de Criatividade de Cannes. Foi o que aconteceu esta semana com o Skank. Mas, por trás de uma grande banda, sempre há um produtor de qualidade. No caso, Dudu Marote.


Na categoria Radio Lions, o Skank se se deu bem pela gravação do tema da Copa da Coca-Cola. A música foi premiada com Leão de Bronze pelo bom uso da mídia. Relembre - no player abaixo - deste momento marcante da música pop brasileira, que marcou o ano de 2010.



Acompanhe a ficha técnica, extraída do site do Festival:
“Wavin'Flag” da JWT para a Coca-Cola
Type of Entry: Craft
Category: Best Use of Radio as a Medium
Title: WAVIN' FLAG
Advertiser/Client: COCA-COLA
Product/Service: 2010 WORLD CUP
Entrant Company: JWT BRAZIL São Paulo, BRAZIL
Advertising Agency: JWT BRAZIL São Paulo, BRAZIL

Creative Credits
Chief Creative Officer: Mario D'Andrea
Creative Director: Mario D'Andrea/Roberto Fernandez
Scriptwriter: Filipe Cuvero/Christian Fontana/Fábio Leão
Agency Producer: Marcia Branco
Advertiser's Supervisor: Jonathan Lawlor/Luciana Feres/Ana Branco/Cristina Turnes/Gian Martinez/Maria Zerk/Flavia Gama
Planner: Ken Fujioka/Joyce Moraes/Marcelo Bazán
Account Manager: Renata Maximo
Account Supervisor: Renata Máximo/Isabel Castro/Tiago Lima/Gabriela Lorenzetti
Production Company: DR. DD ELETROMUSICA Sao Paulo, BRAZIL
Director: Dudu Marote
Producer: Dudu Marote
Radio station or network this ad first aired on: Transamérica FM
Sound Studio: Dr. DD
Music: Artist/Title: Skank And K’naan/"Wavin' Flag"

A criação de uma música associada à marca, em vez de um simples jingle, tem sido repetida pela Coca-Cola. Outro exemplo é o sucesso de NX Zero, que pode ser ouvido novamente aqui.



Outra ação premiada que tem a produção musical de Dudu Marote (da Dr. DD) é o Skankplay. A plataforma da web levou o Leão de Ouro, na categoria Public Relations, destinada à melhor ação em Mídias Sociais. O site (http://www.skankplay.com/) permite ao público tocar com os quatro integrantes da banda e criar videoclipes para a música "De Repente", do CD e DVD "Multishow ao Vivo - Skank no Mineirão”. Vale conhecer.


Saiba mais sobre as conquistas do Brasil no Radio Lions 2011 aqui.


Coutinho e o scratch do rádio na decisão da Libertadores de 62

O Santástico de 62. Foto extraída do blog Melhores do Esporte

Hoje é dia de decisão no Pacaembu. Para preparar o campo das emoções, reviva alguns dos lances da disputa de 1962, em que o Santos enfrentou o Peñarol.
No player abaixo, acompanhe uma montagem de uma entrevista concedida por Coutinho no Fanáticos por Futebol do dia 13 de junho e de lances do segundo jogo da decisão que levou o Santos à conquista de sua primeira Libertadores, levados ao ar no Domingo Esportivo.

Santos e Penharol 1962 melhores momentos e Comentários de Coutinho by pecasraras

A narração da Rádio Bandeirantes foi dividida entre Pedro Luiz e Darcy Reis.
Coutinho foi autor dos dois gols do primeiro jogo da decisão em 28 de julho de 1962, no estádio Centenário, em Montividéu.
O destaque desta edição fica para os acontecimentos envolvendo a polêmica partida de volta, em 2 de agosto de 1962, na Vila Belmiro lotada. Dorval e Mengálvio marcaram os dois gols do Santos. Sasía e 2 de Spencer garantiram a vitória do Peñarol, obrigando uma terceira partida, em que o Santos finalmente conquistou o primeiro título da Libertadores.

Ouça também:Outros momentos históricos do Peixe na voz de Osmar Santos, na Rádio Globo.



Peça por peça #1: o Brasil no Radio Lions


Nesta terça, dia 21, foi divulgado o resultado da categoria Rádio no Festival de Criatividade de Cannes. O Brasil levou três leões, todos de bronze. O GP de rádio ficou com a África do Sul, que teve o melhor resultado na categoria com 38 peças entre as 138 classificadas no shortlist (o Brasil contou com 10).

As peças brasileiras vencedoras são:
“Dragostea” da Ogilvy para Motorola;
“Brian Johnson” da JWT para 91 FM;
“Wavin'Flag” da JWT para a Coca-Cola

Neste e em outros posts vou destacar cada uma das peças. Em breve, também, mais detalhes sobre esses áudios, por meio de depoimentos de alguns envolvidos nos processos de criação e de produção.

Acompanhe os créditos e conheça o spot “Brian Johnson”, criado pela JWT para a 91Rock FM, de Curitiba, que pode ser conferido abaixo, na versão original em português.




Confira também a versão em inglês, enviada a Cannes:

Se o player não estiver visível ou quiser baixar este arquivo, clique aqui


Abaixo, confira a ficha técnica, extraída da shortlist do Radio Lions, no site do Cannes Lions International Festival of Creativity:

Type of Entry: Product & Service
Category: Publications & Media
Title: BRIAN JOHNSON
Advertiser/Client: 91 FM
Product/Service: ROCK 'N' ROLL RADIO
Entrant Company: JWT BRAZIL São Paulo, BRAZIL
Advertising Agency: JWT BRAZIL São Paulo, BRAZIL

Creative Credits
Chief Creative Officer: Mario D'Andrea
Creative Director: Mario D'Andrea/Fabio Miraglia
Scriptwriter: Marco Pupo/Ricardo Marques/Fabio Miraglia
Agency Producer: Fabiano de Proença/Renata Soares
Advertiser's Supervisor: Carlos Gomes/Ricardo Schneider
Account Manager: Gabriela May/Silvia Rohrig
Account Supervisor: Gabriela May/Silvia Rohrig
Production Company: LUA NOVA São Paulo, BRAZIL
Director: Teco Fuchs/Ricardo Fleury
Producer: Ricardo Fleury
Radio station or network this ad first aired on: 91 FM
Sound Engineer: Julio Brasileiro/Fernando Martinez


terça-feira, junho 21, 2011

Meio & Mensagem: Brasil fica com três bronzes no Radio Lions

O Brasil conquistou três Leões de bronze no Radio Lions. O resultado foi obtido com dois trabalhos da JWT para Coca-Cola e 91 FM; e um para a Ogilvy para Motorola. A categoria teve domínio da África do Sul, que ficou com o GP da categoria após emplacar 38 peças entre as 138 classificas no shortlist.

Confira as peças brasileiras vencedoras de Leão de bronze:

“Dragostea” da Ogilvy para Motorola

“Brian Johnson” da JWT para 91 FM

“Wavin'Flag” da JWT para a Coca-Cola

Fonte: M&M online

segunda-feira, junho 20, 2011

Novo colaborador do "Você é Curioso?" resgata memória do humor

Magalhães Júnior - foto
extraída do site
Grupo Fedra
A edição do Você é Curioso? deste sábado, 18 de junho, destacou áudios do roteirista de programas humorísticos para o rádio e a TV, Magalhães Junior.

Magalhães explicou que começou a colecionar os registros a partir de um episódio curioso. Na ocasião, ao ver Walter D´Ávilla na TV, ele fez um comentário com uma das produtoras da emissora em que estava trabalhando. Ao perceber que a mesma desconhecia a importância do comediante, passou a frequentar sebos atrás dessa memória que estava se perdendo.

Clique aqui e ouça a edição do "Você é Curioso?" com Magalhães Júnior.

A melhor notícia, no entanto, ficou para o final do programa, quando Marcelo Duarte fez o convite no ar para que Magalhães Júnior comande uma coluna semanal no programa. Compromisso assumido, aguardamos os próximos capítulos desta participação.

Durante todo o programa, foram destacados trechos de músicas e diálogos inusitados:
- Agildo Ribeiro e Paulo Silvino surgem cantando e - o que é mais divertido - em uma época em que queriam ser levados a sério;

- Alvarenga e Ranchinho com uma das paródias provocativas feitas em relação ao governo, nos anos 40.

- Ronald Golias e seu lado cantor de marchinhas em "Ocride", de 1960;

- A PRK-30, de Lauro Borges e Castro Barbosa... interpretando uma dupla de fanhos no rádio;

- Vitório e Marieta, casal de italianos que levava tudo ao pé da letra, criado nos anos 60 por Irvando Luis. A dupla formada por Murilo de Amorim Corrêa e Maria Teresa (a saudosa fofoqueira da Praça) se especializou na gravação de discos em apresentações ao vivo;

Jorge Loredo, que há 6 décadas dá vida ao Zé Bonitinho, José Vasconcelos e a dupla Ouro e Prata fecham esse panorama do humor radiofônico.

Atualização em 17/07/2011:
acompanhe, no player abaixo, a estreia do quadro sobre Memória do Humor, com Magalhães Júnior:



(se o player não abrir ou quiser baixar o áudio, clique aqui)

quarta-feira, junho 15, 2011

República do 4º com Gui Santana, do Comédia MTV


Final de semestre é sempre um período cansativo para quem leciona. Mas também é a hora da recompensa. Alguns trabalhos superam as expectativas e dão energia para seguirmos na nossa "missão Educar". Aqui está um desses destaques.

 República do Quarto com Gui Santana by pecasraras

República do 4º é o programa de variedades criado para a disciplina de Produção de Rádio pela turma de 4º semestre de Rádio e TV, do período diurno, da FAAP. Esta transmissão foi feita ao vivo no dia 1º de junho, a partir das 11:30 h.


A turma do 4º semestre, Gui Santana e os integrantes da banda 5PrasTantas

A atração traz uma diversidade de quadros, como o Desproduzir, em que um depoimento ou discurso é manipulado; Flora Fala, que dá voz nesta edição à Marina Silva; Pipoca no Sofá, com a sinopse sonora de um filme em cartaz nos cinemas; GPS Gastronômico e alguns outros não menos interessantes.

Nesta edição, o grupo conta com a participação no estúdio de Gui Santana, do Comédia MTV, e de Apolo Pina, também imitador e humorista.

O pop-rock da banda 5PrasTantas se faz presente com som ao vivo, No Quintal.

No quadro Sala de TV, a professora, roteirista e desbravadora da web Rosana Hermann fala sobre o humor negro e seus limites.

É isto. Final de semestre. Começo de uma história. Tenho orgulho de ter meu nome atrelado a este projeto, como orientador.

Mais na comunidade República do Quarto, no Facebook.



segunda-feira, junho 13, 2011

A presença feminina no início do rádo brasileiro

Cantoras, radioatrizes e locutoras. As pioneiras do rádio nas duas principais cidades brasileiras enfrentaram muitos desafios para conquistar espaço. Esta é a base do livro De Passagem pelos Nossos Estúdios - A presença feminina no início do rádio no Rio de Janeiro e em São Paulo: 1923-1943, escrito pela professora e radialista Tereza Cristina Tesser.

A autora foi entrevistada neste sábado, dia 11 de junho, no "Você é Curioso?", da Rádio Bandeirantes. Ouça no player abaixo.


Se o player não estiver visível ou quiser baixar o áudio, clique aqui.

O livro é um lançamento da Editora Universitária Leopoldianum. De acordo com informações do site da Unisantos, instituição em que Tesser dá aulas, a obra é "fruto de dissertação de Mestrado, defendida em 1995 na USP; um retrato de um período importante da história, onde uma parcela feminina foge dos padrões da época e atua como cantora, radioatriz e locutora."

Já o coordenador do grupo de pesquisa Rádio e Mídia Sonora, da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, Luiz Artur Ferrareto atesta no prefácio: “É uma meticulosa reconstituição da trajetória de várias mulheres no rádio das duas principais cidades do país. Valoriza o feminino em seu contexto de época. Não o torna épico, porque, de fato, não o era. Reconstrói, no entanto, trajetos”.

Contato com a autora: entrevista@unisantos.br

sexta-feira, junho 10, 2011

Interferência 04 - Um Cantinho para Fiori

"Você é doente, louco, apaixonado, desvairado, fanático por futebol?" Então ouça - no player abaixo - o Cantinho da Saudade especial em homenagem ao "locutor da torcida brasileira" Fiori Giglioti.


A pesquisa e o texto são meus. A interpretação, de Milton Neves. A sonorização de Roger Palm.
(se o player não estiver visível, clique aqui para ouvir. Se quiser baixar o arquivo, clique com o botão da direita do mouse e opte por "Salvar Destino como")

Anúncio publicado em 1954 no jornal Folha da Noite


Leia mais:Aqui você tem acesso ao texto que foi radiofonizado nessa homenagem

Acompanhe minhas outras Interferências aqui



quarta-feira, junho 08, 2011

Cantinho de Fiori

Aos 30 minutos de um dia 8 de junho, há exatos 5 anos, fecharam-se as cortinas para o locutor da torcida brasileira.

O “moço que veio de Lins” foi responsável por dar voz àqueles que tinham alcançado a glória nos gramados, mas nem sempre contavam com a mesma sorte fora das quatro linhas. Em seu Cantinho da Saudade reverencia os que um dia haviam sido responsáveis pelo espetáculo ao abrirem-se as cortinas.

Desde que Fiori deixou o futebol menos poético em junho de 2006, penso em retribuir parte da emoção transmitida por ele a mim e a toda a torcida brasileira.

Finalmente, consegui escrever um "Cantinho da Saudade" para Fiori Giglioti. A homenagem irá ao ar nesta quinta-feira, às 10 da noite, no Fanáticos por Futebol, da Rádio Bandeirantes.

 
Anúncio do scratch do rádio, em 14/11/1963
(veja o original aqui)

Atualização
Ouça o Cantinho para Fiori, na interpretação de Milton Neves


A seguir o texto que serve de base à saudade...

Torcida brasileira, só Deus sabe o que se esconde por trás das cortinas de uma existência, os enredos misteriosos que teremos de protagonizar na vida, que passa tão depressa.

Por isso, olhando para o ensaio, quando preparamos esse espetáculo, o roteiro mostra que devemos valorizar cada cena. Feliz de quem se entrega ao campo das emoções de corpo e alma. Mais feliz ainda de quem pode atuar de maneira a viver alegrias incontroláveis e a chorar junto com uma plateia que se emociona diante da queda de um elenco.
O rádio esportivo é assim, como um teatro. Grandes espetáculos, enredos de inúmeras tragédias também. E para dar voz a nosso povo tão sofrido, muitas vezes cantamos o hino de nosso país junto com cada brasileiro. Por outras, ficamos tristes e a voz se cala - como que representando um minuto de silêncio - pela tristeza de um momento que não imaginávamos ver.

Mas, quem vive a emoção lance a lance, com cada torcedor, precisa estar preparado para se juntar à desilusão desse povo na hora da frustração. Porque ao perdermos - onde a vitória era certa -, a voz embarga e o rosto fica inundado da amargura das lágrimas que irremediavelmente a gente precisa chorar.

Como um diretor de cena sem força para mudar o rumo da história, despencando da esperança para o impacto da verdade, o narrador de futebol, levado pela evolução e superioridade de um selecionado, como que querendo ver seu país se sobressair diante do mundo, apenas esperando a ovação do público ao término do espetáculo, acaba vendo seu coração caído e pisoteado no gramado. Foi assim que sucumbimos no palco das ilusões junto com nossa espetacular seleção de 82.

O futebol é cheio de barreiras e de vitórias também. Um desafio. E cada lance é como um dia de nossas vidas. Às vezes, até alcançarmos a vitória e conquistarmos tantos títulos que achamos nem merecer, precisamos de humildade para perceber as primeiras chances que nos fazem ganhar voz diante das adversidades... Para reconhecer que é ainda no primário, que se aprendem as lições que farão diferença para toda a vida.

Foi assim com um garoto de Lins que tinha loucura por música, um garoto que se realizava por fazer parte da banda do colégio. Que tinha amor pela caixa, pelo repique. Quando esse menino consegue a caixa da banda, o repique, a vida, no entanto, parece dar-lhe uma rasteira. A professora reserva àquele pequeno rapaz um papel para o qual ele desconhecia possuir talento. Foi Lins o palco da primeira oração, do primeiro discurso dele, quando atendeu a um pedido da querida professora Alda Garcia, que ainda no Primário o incumbiu de falar sobre o Marechal Floriano Peixoto, o marechal de ferro. Naquele momento, o menino chorou a tristeza de perder o lugar de integrante da banda, mas sequer imaginava que nascia naquela ocasião o locutor da torcida brasileira. Esse amigo do ouvinte, que teve como principal título, entre centenas adquiridos, aquele que considerava sua maior conquista: o título de cidadão linense.

Mas o tempo passa e aquele garoto, antes de vencer como narrador esportivo, faz o povo se juntar em um só coro para orar a Ave Maria, ainda na Rádio de Lins.

O jogo segue e... todo adeus traz algumas tristezas e provoca evocações, mas é preciso justificar o adeus. Adeus que representa a separação de alguma coisa, de algo que vai embora. Em 52, ele achou que era hora de tocar a bola pra frente. É quando procura a Rádio Bandeirantes, onde ingressa de maneira singular. Ele faz teste na emissora em 19 de janeiro daquele ano de 52, quando irradia seleção paulista e Santos, na Vila Belmiro. A Seleção ganhou de 3 a 2 e ele, por sua vez, obteve sua primeira de muitas vitórias. Na volta, pediram que o jovem passasse na Bandeirantes. Ao chegar lá, por volta de uma e meia, duas da manhã, o contrato estava pronto... apenas aguardando a assinatura do novo talento da casa...

Começaria a trabalhar no dia primeiro de julho de 1952. Pediu esse tempo porque não queria abandonar completamente a Rádio de Lins... tinha um pouco de medo. O clima do interior, principalmente naquela época, era muito diferente de agora. Era extremamente íntimo, caseiro, a gente conhecia todo mundo, vivia realmente a poesia, o lirismo, o romantismo do momento.

Quando vem a São Paulo, se vê no campo da solidão... diante de uma solidão tão grande como a própria cidade. A família chegaria só três meses depois. Morava na pensão Vera Cruz, no Largo São Francisco. Chorou muitas noites enfiando a cabeça debaixo do travesseiro, com saudade da família, das namoradas. Sim, namoradas. Ele dizia que era preciso colocar no plural, porque quem trabalhava no rádio naquela época era um príncipe encantado. E ele tinha seus namoricos e vivia naquele clima, naquele festival de sonhos e de poesias. Ele também sente falta da pescaria, da vida simples e que considerava muito linda, do convívio constante com a natureza. Ah, de noite, aquele jovem de voz marcante se esparramava em lágrimas e, debaixo do travesseiro, chorava na cascata da saudade. Mas depois, naquele mesmo travesseiro, recostava a cabeça e sonhava com o profissional de rádio que queria se tornar.

Este primeiro contato com a cidade grande se transforma em uma marca. No entanto, fez muito bem... Porque como ele próprio dizia... é preciso sofrer para gente valorizar tudo o que se consegue. E ele conseguiu muito, torcida brasileira. Ele conseguiu tudo o que almejava... na grande área, transformou seus sonhos em gols.

Até que o crepúsculo de jogo chegou. As cortinas se fecharam e o espetáculo terminou para centenas de milhares de torcedores às vésperas de mais uma copa do mundo. Ele não teve tempo de dar voz à torcida que tanto o aplaudiu ao longo de toda a jornada. Ele foi embora, torcida brasileira, empobrecendo o rádio dos espetáculos e deixando tanta tristeza, tanta saudade... Ele que escreveu com a voz, as mais bonitas poesias da história do futebol.

Torcida brasileira, estamos falando, é claro, de Fiori Giglioti. Do grande Fiori de 10 copas, que integrou os times de importantes emissoras como a Panamericana, a Record e a Capital. Mas que brilhou como nenhum outro no scratch do rádio pela Bandeirantes. Do narrador que entrou em campo com a torcida brasileira para transmitir a emoção que só ele sabia,... para colocar o coração no microfone. Fiori deixou o jogo da vida aos 30 minutos da madrugada de 8 de junho de 2006, no Hospital Alvorada, no Bairro de Moema, em São Paulo. Como retribuição a tanta saudade, ele merece ser lembrado. Fiori vai ficar por todo sempre, incrustado na ternura e na sinceridade do nosso CANTINHO DE SAUDADE.




Anúncio publicado no Jornal Folha de São Paulo na Libertadores de 1984












sábado, junho 04, 2011

Interferência 03 - Rádio Romance de José Medina

José Medina, ex-cineasta, fez história
no início da Rádio Bandeirantes


Todo primeiro sábado do mês, tem Interferência no "Você é Curioso?", da Rádio Bandeirantes. Na edição deste dia 04 de junho, em função da proximidade do Dia dos Namorados, o gênero destacado é o Rádio Romance.


Acompanhe a reconstituição de um trecho de "Sonho ou Realidade?", radioteatro da década de 40, escrito por José Medina. No elenco, Walker Blaz, Marcelo Duarte, Silvânia Alves e Francisco Prado.
(se o player não estiver visível, clique aqui para ouvir. Se quiser baixar o áudio, clique com o botão direito do mouse e opte por "salvar destino como")

Saiba mais:
Quando surge, em 1937, a Bandeirantes é considerada uma emissora de elite, especializada na então denominada “música fina”. Demora pouco, no entanto, para que uma nova programação a transforme na “mais popular emissora paulista”. Em 39, com Otávio Gabus Mendes na direção artística, o radioteatro entra em cena. A iniciativa é aplaudida pelo público, que passa a tanto se emocionar, quanto se divertir com todo e qualquer tema transmitido neste formato.

Na equipe de Gabus Mendes, destaca-se o ex-cineasta José Medina. Responsável por um dos primeiros filmes rodados em São Paulo, Fragmentos da Vida, Medina havia se desencantado com a Sétima Arte. Isto porque, após o laboratório dele se incendiar, perde todo o material cinematográfico que possuía.

Na Bandeirantes, José Medina assume o papel de Diretor de Broadcasting. Profissional incansável, é também autor de boa parte dos textos de radioteatro de grande audiência nos anos 40 e 50.

Humor, drama, auto-ajuda... durante 16 anos na emissora, Medina escreve de tudo... inclusive centenas de contos no melhor estilo “água com açúcar”. O radioteatro destinado a este gênero é denominado Rádio Romance; e apresenta dramatizações com meia hora de duração.
É o trecho de uma dessas histórias que você ouve na reconstituição do Interferência com os protagonistas Marcelo Duarte e Silvânia Alves.

Ouça mais:

Todos os episódios do Interferência você acompanha neste endereço: http://www.interferenciaradiobandeirantes.blogspot.com