quarta-feira, julho 24, 2013

Comendador Danilo explica o que é ser o pior aluno da escola

Gentili no Macksoud Plaza, em entrevista para o
portal NET Educação
No dia 11 de julho, tive o privilégio de encontrar o humilde comendador Danilo Gentili para uma entrevista. O bate-papo foi uma verdadeira aula que teve como base o livro "Como se tornar o pior aluno da escola", escrito e ilustrado pelo nobre apresentador do Agora é Tarde, da Rede Bandeirantes.

Clique aqui e ouça a entrevista.

Para Gentili, "a escola deveria classificar o ser humano como indivíduo, dando a ele liberdade para criar e ser o que é". O comunicador segue: "o pior aluno da escola (...) não está pela massa, está por ele".

Na entrevista, com ironia e descontração, ele diz que Einstein prova que tudo é relativo, já que tinha péssimas notas na escola e não marchava como queriam, antes de ser considerado um dos gênios da humanidade. Em seguida, assim como o filósofo francês Michel Foucault, no livro "Vigiar e Punir", de 1975, ou Pink Floyd, compara a escola a uma prisão, com sua estrutura e maneira de lidar com os alunos.

No final, dois momentos que revelam o humor da obra: o escritor ensina a "fórmula da cola" e dá uma aula de religião, ao defender o desapego material.

Depois de pensar e de se divertir com as opiniões de Danilo Gentili, assista também ao vídeo com a íntegra da entrevista:




A gravação e a edição do vídeo são caseiras, mas o conteúdo compensa o amadorismo.
Aliás, está lançado aqui o "repórter fantasma". Apenas vez ou outra vê-se o "faro fino" (nariz, para os íntimos) do entrevistador, que, no caso, sou eu.

quinta-feira, julho 18, 2013

Homenagens ao "pai do gol" José Silvério

Uma série de homenagens, incluindo entrevistas e programas especiais, marca as comemorações do cinquentenário de José Silvério como narrador esportivo.

Neste sábado, dia 20 de julho, a Rádio Bandeirantes terá uma programação toda voltada ao evento (confira os detalhes aqui).

A celebração mais do que merecida, no entanto, já começou. Duas lindas mensagens estão sendo veiculadas pelo Grupo Bandeirantes de Comunicação.

Uma delas é essa crônica escrita por Mauro Beting:



José Silvério se emociona em homenagem do BandSports e outros vídeos - TV UOL

A outra, tão emocionante quanto um gol narrado por Silvério, é a que tem sido veiculada na programação da Rádio Bandeirantes e que foi destaque na Hora do Café do Jornal Gente de hoje. Confira aqui, mais precisamente a partir dos 3 minutos e 30 segundos.


segunda-feira, julho 15, 2013

Titular da Rádio Bandeirantes, José Silvério completa 50 anos de carreira

O “pai do gol” transmitiu futebol pela primeira vez em 20 de julho de 1963 e nesta semana ganha homenagens da emissora
 

 
 
 
 
 


Texto e fotos: Vanessa Lorenzini/Rádio Bandeirantes
 
Neste próximo sábado, dia 20, o locutor da Rádio Bandeirantes José Silvério comemora 50 anos desde a sua primeira transmissão de uma partida de futebol. Natural de Itumirim, pequena cidade localizada ao sul de Minas Gerais, que não tinha nem time de futebol, Silvério se tornou uma das maiores estrelas da narração do país. A paixão do “pai do gol” pelo esporte começou cedo. “Lá no interior não tínhamos luz elétrica, então eu e meus amigos jogávamos futebol de botão por horas e horas, e eu sempre irradiava as partidas”, afirma Silvério. “Cheguei mais longe do que imaginava. Quando criança eu era muito pobre, muito humilde, e nunca tive grandes pretensões. Imaginava trabalhar só para sustentar minha família”, conta.
 

 
 No player acima, você confere a opinião de Salomão Ésper sobre José Silvério. O depoimento foi gravado para o audiolivro do Corinthians, da série Futebol é com a Bandeirantes.
 
A primeira oportunidade para narrar um jogo de futebol aconteceu em 20 de julho de 1963, quando Silvério tinha 17 anos. “Os locutores da Rádio Cultura de Lavras [MG, a 25 km de Itumirim], que pertencia ao Grupo Bandeirantes, estavam de férias e um amigo me indicou; ele disse que conhecia um garoto que irradiava futebol de botão”, diverte-se. “Eu passei em um teste e pude irradiar o jogo, que era em comemoração ao aniversário da cidade de Lavras”, acrescentou. E, desde então, o locutor não parou mais. Passou pelas rádios Itatiaia (BH), Inconfidência (BH), Continental (RJ), Tupi (SP) e Jovem Pan (SP), até chegar à Rádio Bandeirantes em 1º de agosto de 2000.
 
Durante a carreira, José Silvério já narrou nove Copas do Mundo e três finais da seleção brasileira (duas vitórias, em 1994 e 2002, e uma derrota, em 1998). Ficou conhecido como “pai do gol”, nome dado pelo apresentador Milton Neves, e, segundo o próprio Silvério, já deve ter feito a torcida vibrar ao narrar cerca de vinte mil gols. Mesmo com tanto esforço vocal, ele afirma não ter cuidados especiais. “Ter problemas com a voz ou mesmo ficar doente é a coisa mais rara do mundo pra mim”, conta. Depois de ganhar mais de 20 troféus no Prêmio Aceesp (Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo), Silvério ainda se tornou “hour-concours” e parte do Hall dos Notáveis do prêmio.
 
Em comemoração aos 50 anos de carreira de Silvério, a Rádio Bandeirantes mobiliza a programação para contar detalhes da trajetória do locutor. Nesta sexta, dia 19, Silvério participa do programa “Na Geral”, das 18h às 20h, para falar sobre sua trajetória com Beto Hora, José Paulo da Glória e Lélio Teixeira. Já no sábado, das 08h às 10h, ele é o entrevistado especial do “Jornal Gente”, com Salomão Ésper, Rafael Colombo e Thays Freitas. Logo depois, o programa “Você é Curioso?”, das 10h às 12h, vai abordar peculiaridades da história de Silvério. Por fim, no “Concentração”, das 15h às 18h, o craque Neto fará uma edição especial com gols históricos, depoimentos de grande atletas, ex-atletas, treinadores, dirigentes e celebridades e participação de ouvintes.
 
 

sábado, julho 13, 2013

Rock in Brasil - O Balanço das Gerações


Hoje, dia 13 de julho, é o Dia Mundial do Rock. A data foi instituída em 1985, durante o Live Aid, festival que reuniu músicos pelo fim da fome na Etiópia.
Aproximadamente nesta mesma época foi produzido um rico material sobre o Rock brasileiro, que você ouve no player acima ou aqui. O programa Rock in Brasil – o Balanço das Gerações. Tratam-se de uma fita cassete e de um livreto, que tiveram a criação e a pesquisa a cargo da Reminiscências, empresa especializada em pesquisa e produção cultural.
A narração é do jornalista Otávio Ceschi Jr., o Tavinho Ceschi, atualmente a cara do canal Terra Viva. Na época, ele era famoso por comandar a rádio de maior prestígio em São Paulo, a Cidade FM. Simultaneamente, Tavinho passou a coordenar outra emissora do grupo Jornal do Brasil naqueles anos 80, a Rádio Rock 89 FM.

Originalmente, esse áudio foi distribuído pela BASF, a mais famosa empresa de fitas cassete da década de 80.
 

sábado, julho 06, 2013

Interferência - Criação da Cadeia Verde-Amarela e final da Copa de 58


Édson Leite, Fiori Giglioti e Pedro Luiz: integrantes da Cadeia Verde-Amarela em 1958.
Foto extraída do site Terceiro Tempo, de Milton Neves




A Copa das Confederações trouxe de volta ao ar a força da maior rede de rádio do país: a Cadeia Verde Amarela.

Nessa edição do Interferência, vamos aproveitar outro quadro do “Você é Curioso?” e apresentar 5 coisas que você precisa saber sobre... CADEIA VERDE AMARELA.

As informações foram extraídas da série de audiolivros Futebol é com a Rádio Bandeirantes.

Na reconstituição, Marcelo Duarte e Silvania Alves emprestam suas vozes em trechos do LP lançado pela Rádio Bandeirantes para comemorar a conquista da copa de 58 pela nossa seleção.
 


Se o player não estiver visível, clique aqui.

Ouça outras edições do quadro Interferência em www.interferenciaradiobandeirantes.blogspot.com


terça-feira, julho 02, 2013

Deu no Tudo Rádio: documentário em comemoração à Rádio Cidade FM de São Paulo

 São Paulo – Reunião realizada em 2005 contou com a participação de vários nomes do rádio da capital paulista

(texto publicado em www.tudoradio.com)
  


O radialista Fernando Fernandez produziu um documentário sobre a comemoração dos 25 anos da então rádio Cidade FM 96.9 de São Paulo (atual BandNews FM). A reunião ocorreu em 2005 e contou com a presença de vários nomes que passaram pela emissora e marcaram uma época no rádio da capital paulista. A Rádio Cidade foi líder de audiência durante vários anos.
 
Segundo Fernando, a idéia de produzir o documentário partiu do vídeo que ele gravou quando foi feita a reunião, idealizada pelo então diretor da Band FM 96.1 de São Paulo, Acácio Luiz Costa (atual diretor da Estadão FM 92.9 AM 700), chamou ex-locutores da rádio para comemorar os 25 anos, fundada em 25 de janeiro de 1980.
 
Entre os nomes que participaram do evento, estavam Marcelo Siqueira, Karina Meyer, Biasi, Beto Rivera, Magliocca, Carlos Townsend, Celso Giunti, Bob Floriano, Eliana Chuffi, Rony Magrini, Tavinho Ceschi, entre outros. “Eu decidi filmar todo o encontro e ficou um registro para a história da rádio. Então, produzi um documentário e postei no Youtube para que todos possam ter acesso”, explicou Fernando.
 
A emissora foi inaugurada em 25 de janeiro de 1980, e transmitia para toda a Grande São Paulo. Seu primeiro coordenador foi Carlos Townsend que já havia implatado o formato Cidade no Rio de Janeiro em 1977.