segunda-feira, agosto 25, 2014

100 anos em 10 peças raras palmeirenses

Em 2011, criei um blog especialmente para comemorar os 97 anos do Palmeiras. Agora, devidamente atualizado, o canal celebra o centenário do time. Nele, estão reunidas algumas glórias verdes que publiquei desde 2006 aqui no Peças Raras. Entre elas, a conquista do primeiro Paulista em 33 e do Mundial de 51, além de uma matéria especial de Leandro Quesada sobre os 100 anos.

Confira e emocione-se e divirta-se em http://100anosdopalmeiras.blogspot.com.br/

Dedico esta homenagem ao meu filho, que no vídeo abaixo aparece realizando o sonho de ver o time do coração pela primeira vez na vida. 


domingo, agosto 24, 2014

70 anos de Leminski: comemore com toda poesia

Confira a conversa com o poeta e jornalista Ademir Assunção para entender a trajetória de Leminski

Se estivesse vivo, Paulo Leminski faria 70 anos de idade hoje. Para celebrar a data, compartilho um dos áudios mais saborosos que já produzi para o NET Educação.

Clique aqui para ouvir.
“moinho de versos
movido a vento
em noites de boemia
vai vir o dia
quanto tudo o que eu diga
seja poesia”
(Moinho de Versos - Leminski)

O livro “Paulo Leminski – Toda Poesia” reúne 600 textos do escritor curitibano. O lançamento da Companhia das Letras teve “gestação” de 9 meses. Este foi o tempo em que os familiares do poeta se dedicaram à organização dos textos. Para entender a trajetória de Leminski, que foi encerrada prematuramente em 1989, quando ele tinha apenas 44 anos de idade, conversamos com o poeta e jornalista Ademir Assunção.
Os laços de amizade entre ele e Leminski começam a ser estreitados ainda quando Assunção trabalhava como jornalista da Folha de Londrina, em 1986. Um ano depois, já como integrante da equipe do Caderno 2 do Estadão, Assunção passa a conviver intensamente com o curitibano, que também passaria a morar em São Paulo, após conduzir o curso Poesia em Cinco Noites, na FAAP, e ser convidado para fazer parte da equipe do Jornal de Vanguarda, da TV Bandeirantes.
De acordo com o entrevistado, ao contrário do que alguns dizem, o poeta faixa-preta de judô foi reconhecido em vida. “Caprichos e Relaxos”, primeiro livro do autor publicado por uma grande editora - a Brasiliense -, em 1983, alcança grande repercussão. Além disso, tinha parcerias com grandes nomes da MPB como Caetano Veloso, Moraes Moreira e Pepeu Gomes(Decote Pronunciado e Promessas Demais) e Guilherme Arantes (Xixi nas Estrelas).
A propósito, durante a conversa com Assunção, que destaca a multiplicidade da obra do poeta curitibano, você ouve trechos de músicas que têm a coautoria de Leminski. São elas, por ordem de entrada:
  • Vai Vir o Dia, com Reynaldo Bessa;
  • Coração de Vidro, com Ricardo Graça Mello (Guilherme Arantes e Paulo Leminski);
  • Subir Mais, com José Miguel Wisnik;
  • Reza, com Miriam Maria (Zeca Baleiro e Paulo Leminski).

Veja Ademir Assunção comentando e lendo Leminski.

Links: 
- Mais de Leminski por Ademir Assunção pode ser acompanhado aqui;

- Assista ao especial sobre o poeta no jornalístico Meu Paraná: http://www.youtube.com/watch?v=p6TG_apAS6I (parte 1)

segunda-feira, agosto 04, 2014

Interferência - A Felicidade pode esperar (radionovela de 1947 da Nacional)

Celso Guimarães, Ismênia dos Santos, Saint-Clair Lopes e Dulce Martins
A Felicidade pode esperar foi irradiada pelas ondas da Nacional, em 1947. A radionovela alcança sucesso na interpretação de Ismênia dos Santos, Celso Guimarães, Saint-Clair Lopes, Dulce Martins e Abigail Maia nos principais papéis. A história, escrita por Eurico Silva, célebre autor da era do rádio, também foi adaptada para TV no início de 1959. 

Focalizando o drama de um grande amor e de um enorme desapego, A Felicidade pode esperar... durante muito tempo foi lembrada com saudade pelo público ouvinte de novelas, que soube guardar na memória as cenas que mais alto falam à sua alma. 

 
É uma dessas cenas, que resume o enredo da trama, que você acompanha nesse Interferência. Ouça no player abaixo ou neste endereço.  




Ouça as edições anteriores do Interferência aqui. 

Vale a pena ouvir: No mesmo sábado do Interferência (02 de agosto de 2014), o Dr. Maurício de Souza Lima foi entrevistado no Jornal Gente. A conversa pode ser ouvida neste link. Ouça, aos 51 minutos, a análise sobre os enredos das novelas atuais e nossa vida. Depois conclua: você imagina que a nossa sociedade seria diferente se houvesse enredos como os dos anos 40 nas novelas de TV de hoje?