segunda-feira, janeiro 29, 2018

A rádio que tem opinião?



Tristeza não tem fim, jornalismo sério sim...
Temer o que está acontecendo na mídia: propaganda disfarçada de jornalismo
Ao ligar a TV domingo à noite no Programa do Silvio Santos, deparo-me com a presença do garoto propaganda da reforma da presidência, ops, previdência, Michel Temer. Fiquei preocupado com o tom amistoso entre o homem do Baú, que respeito apenas como comunicador, e o entrevistado. Tudo para fazer apologia aos bons resultados para o país se prevalecessem as ideias do nosso atual “mandatemerário”. Sim, acho realmente preocupante usar de uma concessão pública (em que o nosso congresso decide quem tem ou não capacidade para comandar uma emissora de rádio ou TV no Brasil) para esse tipo de discurso, que faz o noticiário oficial “A Voz do Brasil” parecer democrático.
Por outro lado, cresci ouvindo rádios populares e comunicadores dessas emissoras destinadas às camadas mais populares sempre foram usadas para tornar mais palatáveis os programas de governo, independentemente de quem está no poder. Por isso, não me assusta tanto que o Silvio Santos se preste a esse papel. 

Preocupante mesmo é perceber que uma rádio que cresci ouvindo e acreditando ser minimamente imparcial, coloque seu principal quadro de jornalistas para fazer um programa que mais parece um episódio de “Os Trapalhões”. Sabe aquela técnica da escada, em que um levanta o assunto para o outro brilhar? É o que tristemente ouço na entrevista de Temer à Rádio Bandeirantes nesta segunda, no Jornal Gente. O presidente, no caso, assume o papel do Didi, que sempre se sai bem no final.
Perguntas feitas em tom dócil, de pessoas “que têm opinião”. Realmente isso me preocupa pra valer. Gostaria de ressaltar que soa curioso o José Paulo de Andrade estar ausente dos microfones da emissora em que está há 54 anos por tanto tempo.

sábado, janeiro 27, 2018

Podcast Peças Raras #01 - Hélio Ribeiro, Frank Sinatra e criatividade no rádio




Em Janeiro de 1980, Frank Sinatra apresenta-se para 175 mil pessoas no Maracanã, Rio de Janeiro. Nessa mesma época, no rádio paulistano, Hélio Ribeiro era "a voz" grave que produzia momentos de emoção com suas traduções simultâneas de músicas, às quais ele chamava de “versão livre para o português”. Juntando esses dois ingredientes, a DPZ criou uma campanha que aproveitou a agilidade do rádio e marcou época. Vale a pena ouvir essa verdadeira peça rara. Áudio veiculado originalmente em 02/06/2006

Reviva grandes momentos do comunicador Hélio Ribeiro no site do Memorial HR: www.helioribeiro.com.br

quinta-feira, janeiro 25, 2018

Alexandre Beck e as Tiras do Armandinho




O destaque do canal de Educação do Instituto NET Claro Embratel desta semana é o ilustrador Alexandre Beck. Conversamos com ele sobre as tiras do Armandinho. Ouça aqui um trecho extra da entrevista. O áudio completo está no link: goo.gl/BzJ2pH
Criador do personagem Armandinho, o ilustrador Alexandre Beck teve influências na própria família. Quando criança, recebeu o incentivo de seu saudoso tio-avô Aldo Beck, que retratava em pinturas a antiga Florianópolis. Também tem orgulho de seu tio Sérgio Beck, dedicado às artes e à docência. Com isso, desde pequeno, teve no desenho uma forma de se integrar à turma na escola. Por ser algo que elogiavam, a ilustração facilitou o relacionamento dele com outras pessoas, já que era um menino tímido. “Eu fiquei frustrado depois, quando fui crescendo, por perceber que aquilo – perante a sociedade – não era considerado um trabalho sério.”

Com o surgimento de Armandinho, essa percepção começou a mudar. Beck já assinava tirinhas no Diário Catarinense, em 2009, quando foi desafiado a criar uma tira para ilustrar matéria sobre economia doméstica, que sairia no dia seguinte. Para dar conta da urgência, montou três charges rápidas de um trabalho que era inédito. “Eu fiz um par de pernas para o pai, um par de pernas para a mãe. Funcionou, o pessoal do jornal gostou, foi rápido pra fazer”. Na época, a filha do cartunista tinha 7 anos e Beck se colocou no lugar dela para tentar entender o ponto de vista de uma criança.



quarta-feira, janeiro 24, 2018

Peças Raras produz podcasts sobre educação e cidadania do Instituto NET Claro Embratel (antigo NET Educação)

Parte da equipe do NET Educação, que passa a produzir para o
Instituto NET Claro Embratel: Leonardo, Desirèe e Abud

O ano de 2018 começa com uma novidade. O NET Educação, portal para o qual produzo podcasts desde 2011, cresceu e agora abarca também conteúdos de cidadania. 

Boa parte dos áudios mudou para o novo canal de educação e podem ser acessados aqui. Já os podcasts de cidadania passaram a contar com um canal dedicado a partir de dezembro de 2017. Confira neste link

Na nova editoria, já entrevistei Ricardo Carvalho sobre o documentário "Coragem! As muitas vidas de dom Paulo Evaristo Arns"; Maria Vilani, sobre o Caps; André Trigueiro, para comentar a proeza do Brasil em aumentar a emissão de gases de efeito estufa em meio à diminuição do PIB; Vivian Blaso, que faz uma retrospectiva do conceito de desenvolvimento sustentável; além dos fundadores das ONGs "Ouvir e contar histórias" e "SP Invisível". 

Capa do canal de podcasts de Cidadania do Instituto NET Claro Embratel

Ainda neste mês de janeiro de 2018, uma personalidade do mundo da comunicação será destaque. Ele vai comentar as mudanças de ares que tem experimentado há uma década. No vídeo abaixo, você acompanha uma prévia do que vem por aí. 




Ainda está em dúvida, quem é o nosso entrevistado? Então, confira mais um trecho da entrevista que gravei com ele:




Descobriu? Deixe seu palpite nos comentários e siga em sintonia com a educação e a cidadania, com conteúdos atualizados toda semana.