sexta-feira, janeiro 25, 2019

Como buscar Peças Raras neste blog

Na parte superior desta página, você encontra uma caixa de busca, conforme ilustração abaixo (no celular, é preciso alterar para "versão para web"):


Se procura por algum programa específico ou tema relacionado ao rádio, nesse espaço digite exatamente o que deseja ouvir. Sua pesquisa terá um melhor resultado se você colocar este assunto entre aspas. Depois, é só dar "enter" e divertir-se.

Boa viagem pelas ondas do rádio.

Fique em sintonia com nossas peças raras também em:










Abaixo, você encontra uma série de episódios do podcast Peças Raras. Divirta-se!

Conversa revela o orgulho de ser professor

Sueli e Everton, ao lado dos professores do curso de Geografia da Unisa, no dia da apresentação do TCC

OUÇA O PODCAST EM QUE O JOVEM EVERTON CONVERSA COM A PROFESSORA DIVA NUNES SOBRE OS DESAFIOS E DELÍCIAS DA PROFISSÃO

Fim de ano, fim de noite, fim da paciência para muitos. Em um trem lotado (mesmo depois das onze da noite), observo ao redor e uma multidão de rostos sisudos se apresenta. Até que uma voz animada ecoa e traz um clima diferente àquele ambiente. Disfarço, olho para o outro lado, mas deixo as antenas do ouvido atentas para captar o diálogo mantido entre uma senhora e alguém do outro lado da linha, pelo celular. 

A conversa gira em torno de uma conquista e a frase repetida é: "formei meu filho, formei um professor". Quando a voz diminui, procuro pelo rosto feliz de quem a emitia. Percebo que aquela senhora queria falar mais, celebrar mais. Então, dirijo-me a ela e abro um canal de comunicação a partir do olhar e do sorriso. O nome dela: Sueli. Tento entender melhor os motivos daquela alegria, em meio a tanto cansaço e mau humor que eram transportados em vidas que pareciam estar fora dos trilhos. 

Sueli revela que, apesar das dificuldades de quem trabalha como babá e cozinheira, havia conseguido dar educação e valores aos dois filhos. Naquele momento, estava radiante pela conquista de Everton, filho mais novo, que acabara de se formar em Geografia, ao apresentar com sucesso seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). É quando ela, com muito orgulho, mostra-me as fotos do jovem na sala de aula da Unisa, em que a avaliação havia acontecido. Antes de descer do trem, peço o contato de Sueli e imagino que aquela história precisa ser conhecida por outras pessoas. 

É esse o objetivo deste post. Apresentar Sueli, o filho Everton, e a bonita história deles. Além disso, colocamos os sonhos do jovem em contato com as realizações da experiente arte-educadora Diva Nunes. O encontro entre eles pode ser conferido no podcast de Educação do Instituto NET Claro Embratel e aconteceu na noite de 5 de janeiro de 2019. (você também pode baixar o podcast neste link)




Professora de Artes da EMEF General Júlio Marcondes Salgado, localizada no Parque Edu Chaves, zona norte da cidade de São Paulo, Diva usa as redes sociais como telas para expor os trabalhos de suas turmas (reprodução: Facebook)


Diva, assim como Everton, trilhou toda sua jornada escolar na rede pública de ensino. Ambos têm outros pontos em comum, como o estimulo à leitura que os pais incutiram desde que eram crianças e que consideram algo essencial na formação que seguiram. 

Para a conversa, Diva e Everton não mediram esforços. Ela veio ao local da reportagem com a pequena Dharma, já que ia viajar com a filha logo depois. Ele pegou muitas conduções para se deslocar do extremo sul da cidade à região noroeste. Mais uma prova da vocação que têm pelo prazer de ensinar e aprender sempre. 

Os áudios de Cidadania e Educação que a Peças Raras produz para o Instituto NET Claro Embratel agora são distribuídos também em plataformas de áudio, como o Google Podcasts



sábado, janeiro 19, 2019

Trilogia “Amazon – Guerreiros da Amazônia” está disponível para download

No podcast de Educação desta semana, no portal do Instituto NET Claro Embratel, você conhece melhor como foi pensada e desenvolvida a trilogia "Amazon - Guerreiros da Amazônia". 

Clique aqui para entrar em contato com uma saga repleta de super-heróis que busca conscientizar o público infantojuvenil sobre a importância da floresta





A ideia de criar uma série com super-heróis que têm a missão de preservar a floresta e conscientizar o público infantojuvenil sobre a importância da Amazônia surgiu em 1998, quando Ronaldo Barcelos pensou, inicialmente, em uma série de desenhos animados. Quase duas décadas depois, o projeto ganhou vida por meio de uma coleção de livros. “Existem guerreiros de todas as idades, de todos os tipos, o guerreiro está dentro de cada um de nós”, defende o publicitário e escritor.

A história tem origem em uma grande reunião na floresta, no início da chegada dos colonizadores, há mais de 500 anos. Para manter a cultura e crenças vivas, os indígenas criam a cidade Amazon. “A ideia é que ficassem lá até quando não houvesse mais perigo ou que a floresta começasse a ser destruída e pudessem colaborar com toda a sabedoria deles”, explica Barcelos.
Ao longo dos três livros, voltados principalmente a um público de 9 a 14 anos, o leitor entra em contato com 10 heróis. Juntos, eles combatem o Dr. Zach, um vilão que quer ficar rico a qualquer custo. Os títulos buscam criar identificação com esses heróis que usam armaduras sagradas e detêm os poderes dos animais. “O objetivo é resgatar o amor e a autoestima das crianças que vivem nas florestas e o entendimento para as que nasceram e vivem em grandes centros urbanos. Essas, que são a maioria, cresceram sem a conexão com a natureza”.
Por meio das histórias, crianças e jovens têm um panorama da Amazônia continental, englobando oito países e um território francês, e passam a conhecer melhor o bioma da floresta e sua importância para questões como clima, biodiversidade e consumo consciente. “A gente fala dos problemas, mas também das diversas alternativas que podem gerar mudança de comportamento nas crianças, na forma de viver e de entender o meio ambiente”, conclui o idealizador do projeto, que também conta com animações para o público infantil e uma ação social com distribuição de kits em escolas da região amazônica e do sudeste.
Link:
No site do projeto “Guerreiros da Amazônia”, você tem acesso aos três livros da série, em versão PDF, e vasto material educativo.
Crédito:
A trilha sonora utilizada no podcast é da série de animação “Amazon – Guerreiros da Amazônia” e foi composta por Kleyton P. Macedo e Kleber P. Macedo.

segunda-feira, janeiro 14, 2019

BBC tenta ajudar a entender o que aconteceu com o Brasil, em documentários


A BBC World News exibe a partir desta noite um documentário que mostra um Brasil em transe. Chamado “What Happened to Brazil… (“O Que Aconteceu Com o Brasil…”), o documentário tem três episódios: “The Dream Dies (“O Fim do Sonho”), “Carwash and ‘the coup’”(A Lava Jato e “o golpe”) e “Divided Nation” (“Nação Dividida”).

O documentário cobre o período que vai de junho de 2013, quando começaram grandes manifestações de rua no Brasil, até a eleição e posse de Jair Bolsonaro. Aborda as chamadas jornadas de junho e julho de 2013, a eleição presidencial de 2014, o processo de impeachment, todo o tempo da Operação Lava Jato até a ida de Sergio Moro para o Ministério da Justiça, a greve dos caminhoneiros, o assassinato de Marielle Franco, a intervenção militar no Rio de Janeiro, o governo Temer, a prisão de Lula, as fake news que dominaram as eleições e a vitória de Bolsonaro.

Foram entrevistados quatro ex-presidentes: Fernando Henrique Cardoso, Lula, Dilma e Temer. Lula respondeu por carta, porque o documentário não obteve autorização da Justiça para entrevistá-lo em Curitiba. O pedido foi feito depois da eleição, negado pela juíza de primeira instância e encaminhado ao STF (Supremo Tribunal Federal), que ainda não se manifestou.

Personagens centrais, o ministro Ricardo Lewandowski, presidente do STF na época do impeachment, e o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot também concederam entrevistas. Foram ouvidos ainda cidadãos que viveram a crise dos últimos cinco anos. Bolsonaro e Moro foram convidados a dar entrevistas, mas recusaram. Moro respondeu por escrito à carta de Lula.

O documentário é um convite para o público brasileiro refletir sobre os acontecimentos recentes da história do país, que radicalizaram a opinião pública e nos trouxeram até o momento atual. O Brasil despontou no cenário mundial como uma potência e tudo se esfacelou em menos de uma década. No exterior, muita gente não entendeu nada. O país perdeu a sua relevância para o resto do mundo e ficou prisioneiro de um enredo interno de crise econômica e instabilidade política. Compreender o que aconteceu me parece fundamental para evitar o aprofundamento da crise e um retrocesso civilizatório.


Hotsite do documentário: https://www.bbc.co.uk/programmes/n3ct5frg

sábado, janeiro 12, 2019

Conheça Plural, de Reynaldo Bessa e Paulo César de Carvalho

Hoje, às 20h30, tem Reynaldo Bessa no Brazileria.
Conheça uma das músicas do repertório do próximo CD do artista, que está em fase de produção. Plural tem letra do poeta Paulo César de Carvalho. Confira a versão acústica e exclusiva.






Reynaldo Bessa e os psicodélicos da Tia Lalinha, no show “A poesia não salva, a poesia valsa”
Sábado, 12 de janeiro de 2018, às 20h30.
Brazileria – Rua Clélia, 285
Telefone para informações e reservas: 11 – 2628-4211
Livros e discos à venda no local.
Ingresso: 25 reais

PLURAL
(Reynaldo Bessa / Paulo César de Carvalho)

Meu lar em mil falares
Meu luar em mil lugares
Tenho um ar de muitos ares
Sou mar de muitos mares
Sou muitos não repares

Sou tantos não compares
Sou vários não separes
Sou par de muitos pares
Sem apesar nem pesares
Meus encantos em tantos cantares
Meus prantos em vários bares

Sou tantos quanto sonhares
Os contrários que encontrares
Todos os santos em meus altares
Em todos os cantos meus calcanhares
Acredite: sou Afrodite, sou Ares

terça-feira, janeiro 01, 2019

De quem é a música "Botei uma flor na janela" que viralizou no whatsapp?

Tela ‘Rio de Janeiro, gosto de você, gosto dessa gente feliz’, de LliaMmittarakis

Muito provavelmente você recebeu neste fim de ano uma mensagem, em forma de clip, que começa com imagens do Cristo Redentor, Iemanjá e de São Jorge; e diz na primeira estrofe "Botei uma flor na janela, pra Iemanjá ver o mar". Eu recebi uma dezena de mensagens com essa música. 

Talvez você também tenha se perguntado sobre a autoria dela. Acredito que tão grave quanto espalhar uma "fake news", sem checar antes, é viralizar uma música sem dar o devido crédito. Aliás, também falta citar de quem são as telas que compõem a imagem do videoclip, que pode ser conferido abaixo:



A música, que na verdade se chama "Bons Caminhos", já havia sido espalhada no ano passado, quando foi criada justamente como mensagem de Natal. Mas com o aumento exponencial do WhatsApp como rede social, agora em 2018, o alcance foi muito além.

A autoria da composição é atribuída ao jornalista e músico Sergio mesquita de Barros


"A gente não tem que ter muito
A gente precisa é ser mais"

Fui atrás de informações e o que encontrei foi um vídeo da gravadora "Cedro Rosa Music": 



Acompanhe a letra da música "Bons Caminhos":

Botei uma flor na janela
Pra Iemanjá ver do mar
Da lua, olhando pra ela
São Jorge vai abençoar

Com a força que vem com as ondas
E os raios que vêm do luar
Encontro amor e alegria
Pro ano que vai começar

Desejo pro ano que vem
Tudo de bom e do bem
Pra você para os seus

Dê boas vindas aos sonhos
Tristezas e mágoas, adeus
Procure pelos bons caminhos
Estradas de luz e de paz

A gente não tem que ter muito
A gente precisa é ser mais


E as obras de arte, de quem são?

De acordo com vídeo publicado no fim do ano passado, por Angelo de Souza, no Youtube, aí vai a relação de obras e respectivos artistas: 

1. LliaMmittarakis: ‘Rio de Janeiro, gosto de você, gosto dessa gente feliz’; 2. Helena Coelho: 'Feliz Ano Novo'; 3. Ariane Krelling: 'São Jorge'; 4. Airton das Neves: 'À Beira-mar'; 5. Duca: 'Caraíva'; 6. Luciana Mariano: 'Réveillon'; 7. Maldonado Díaz: 'Mosaico de tradiciones en el llano'; 8. Raquel Galena: 'Cidade do Sonho'; 9. Valquíria Barros: 'Ciranda de flores'; 10. Adriano Dias: 'Roda de ciranda'; 11. Luciana Marinho: 'Gaiolas'; 12. Ernane Cortat: 'O Violeiro'; 13. Ângela Gomes: 'A Caminho do convento'; 14. Ângela Gomes: 'Convento da Penha'; 15. Luciana Marinho: 'Fazendo'; 16. Meire Lopes: 'Lugarejo'

Com os devidos créditos, a equipe do Blog Peças Raras aproveita para desejar que principalmente a frase final ecoe durante todo o novo ano: "A gente não tem que ter muito / a gente precisa é ser mais".

BÔNUS:
No site da Cedro Rosa, há outra versão da música, com arranjo instrumental ao fundo. Confira: http://online.cedrorosadigital.com.br/o/s/mFz31bYNE5

sábado, dezembro 29, 2018

Relembre o primeiro tema de fim de ano da extinta Cidade FM, de São Paulo

Capa de fita com tema de fim de ano de 1988, em que os locutores e a equipe da Cidade FM aparecem

(se o player não estiver visível, clique aqui)


Ouça Rony Magrini (atualmente na Rádio Capital AM de São Paulo) explicando brevemente como foi produzido o primeiro tema de fim de ano da antiga Cidade FM, que reuniu o elenco de locutores da época, em 1980: Paulinho Leite, Luiz Henrique Romagnolli, Beto Rivera, Bob Floriano, Celene Araújo e o próprio Rony Magrini. 

Aliás, todos são citados na letra da paródia da música The Sugarhill Gang, de Rapper's Delight, grande sucesso daquele ano.