sábado, dezembro 29, 2018

Relembre o primeiro tema de fim de ano da extinta Cidade FM, de São Paulo

Capa de fita com tema de fim de ano de 1988, em que os locutores e a equipe da Cidade FM aparecem

(se o player não estiver visível, clique aqui)


Ouça Rony Magrini (atualmente na Rádio Capital AM de São Paulo) explicando brevemente como foi produzido o primeiro tema de fim de ano da antiga Cidade FM, que reuniu o elenco de locutores da época, em 1980: Paulinho Leite, Luiz Henrique Romagnolli, Beto Rivera, Bob Floriano, Celene Araújo e o próprio Rony Magrini. 

Aliás, todos são citados na letra da paródia da música The Sugarhill Gang, de Rapper's Delight, grande sucesso daquele ano.




quarta-feira, dezembro 19, 2018

Natalino: nosso conto de fim de ano


Audiodrama traz o Natal visto pelos olhos realistas e, ao mesmo tempo, mágicos de uma criança
Ilustração de Alexandre Rampazo, para o livro Natalinho, escrito por Eliandro Rocha e recém-lançado pela Editora Escrita Fina


Assim como no ano passado, com “OCientista e a Criança”, o Instituto NET Claro Embratel prepara uma mensagem especial para todos os amigos, parceiros, apoiadores e, em especial, a você que acredita que, mesmo diante da realidade, é possível ver a esperança nos olhos de toda criança.
Desta vez, adaptamos um conto de fim de ano escrito por Eliandro Rocha e que acaba de chegar às livrarias.
O áudio narra a história de Natalino, que – assim que dezembro chega – fica ansioso pela chegada do Papai Noel, mas sua mãe adverte: nem adianta esperar, que ele não vai conseguir deixar os presentes. A família tem muitos cachorros, como o Bom Velhinho iria entrar sem ganhar uma mordida?

Quer saber o que acontece no resto da história? Então, aceite nosso convite para se emocionar e ouça o audiodrama produzido especialmente para você. 


Créditos:
As trilhas de fundo utilizadas no áudio são de Reynaldo Bessa e Madan. A música de Natal é “Magic Christmas” e está sob licença “Creative Commons” em https://freesound.org/people/lena_orsa/sounds/442791/
A música que encerra o audiodrama é “Paraíso” (Madan e José Paulo Paes) e está disponível em https://soundcloud.com/kecobrandaomusica/para-so_madan_arranjo-e-produ?in=kecobrandaomusica/sets/brincando-com-palavras-madan 

Lucas (o Natalino do áudio), aos 2 anos de idade

sábado, dezembro 15, 2018

Cultura pode acabar restrita à visão assistencialista em novo governo


José Roberto Sadek durante aula na FAAP (Crédito: Marcelo Abud)

A partir de janeiro de 2019, com a posse do novo presidente da República, a Cultura deixa de ter um Ministério exclusivamente dedicado a ela. Nesta edição, o Instituto NET Claro Embratel conversa com o gestor público de cultura, que já atuou como diretor da TV Escola, e é ex-secretário de Cultura em São Paulo, José Roberto Sadek.

Ele analisa o que deve mudar com a criação do Ministério da Cidadania, que passa a reunir a cultura com outras áreas, como Desenvolvimento Social, Esporte e política anti-drogas. “Parece que este ‘ministério de variedades’ tem como linha comum o assistencialismo. A gente está instrumentalizando a cultura para fazer aquilo que não é o central dela. O central da cultura é a produção cultural para as pessoas usufruírem, pensarem, se divertirem, questionarem quem são e como se comportam”, defende o também professor de roteiro da FAAP, que foi entrevistado por mim para o podcast do Instituto NET Claro Embratel (você pode ouvir o áudio aqui e também nos principais agregadores de áudio, como o Spotify e o Google Podcasts).


“A Cultura vai pro Ministério da Cidadania, que parece ser o lugar pra onde vai tudo o que ninguém sabe onde por. Não há Ministro que seja craque em Cultura, assistência social, combate às drogas”


Ele defende que a medida vai prejudicar muito o setor: “Um dos motivos pelos quais a cultura deve ficar sozinha é que, além de significar cerca de 4% do PIB, apresenta alta complexidade de suas atividades fim: de games a circo, de concertos de música clássica a saraus da periferia, a gama de assuntos é enorme e complexa”.

O bate-papo sobre o que deve acontecer com a pasta da Cultura ao ser associada a outras tão diversas no Ministério da Cidadania foi muito rico. Você pode conferi-lo na íntegra, no player abaixo. 

Na entrevista, Sadek ressalta que a cultura vai muito além da Lei Rouanet e está ligada à identidade do País e que, portanto, é um universo diverso e complexo. Isto, por si só, justificaria a manutenção de um ministério exclusivo. O professor fala ainda sobre a ligação intrínseca entre cultura e liberdade de expressão, mas que isto não significa que as obras artísticas são apenas críticas ao governo e que, quanto mais panfletárias, menos alcançam o público em geral. 

Em outro momento da conversa é feita uma análise da associação que já houve entre cultura e educação e uma projeção de com que áreas cultura se encaixaria melhor, caso fosse mesmo necessária a fusão com outras pastas. O turismo seria uma melhor opção, segundo o professor.

Para finalizar, Sadek aponta como cada um de nós pode contribuir para que a cultura não fique restrita apenas e tão somente a um papel assistencialista, papel que ela também cumpre, mas não deveria ser o centro de sua expressão.

O podcast do Instituto NET Claro Embratel está também nos principais agregadores de áudio. Inscreva-se pelo Google Podcasts ou por onde preferir e receba as atualizações sempre que entrar no aplicativo. 



sexta-feira, dezembro 07, 2018

"Saudades do Século XX" é a nova série de Ruy Castro na Rádio MEC

Com oito programas, nova série do escritor estreou no dia 2 deste mês de dezembro e traz uma trilha musical inspirada em seu mais recente lançamento pela Companhia das Letras 

Do site Rádio Mec



Ruy Castro acaba de lançar , pela Companhia das Letras, uma edição de "Saudades do Século XX", livro onde desfilam atores, escritores, músicos e cineastas que deram emoção e prazer ao século XX, em microbiografias com sabor de ficção.

Para celebrar este lançamento, o escritor, a editora e a Rádio MEC renovam a feliz parceria e apresentam mais uma série com 8 programas especiais, destacando personagens e trechos do livro acompanhados de excelente trilha musical.

O primeiro programa desta nova série é dedicado à Billie Holiday (ouça neste link),  uma das vozes mais bonitas e sofridas da música popular em todos os tempos.

Seleção musical:

A fine romance’, de Jerome Kern e Dorothy Fields (Columbia 1936)

This year’s kisses’, de Irving Berlin (Columbia, 1937)

Strange fruit’, de Lewis Allan (Commodore, 1939)

As time goes by’, de Herman Hupfeld (Commodore, 1944)

Billie’s blues’, de Billie Holiday (Commodore, 1944)

My man’, de Maurice Yvain e Channing Pollock (Decca, 1946)

Good morning, heartache’, de Erwin Drake e Irene Higginbotham (Decca, 1946)

Crazy he calls me’, de Carl Sigman e Bob Russell (Decca, 1949)

God bless the child’, de Billie Holiday e Arthur Herzog (Decca, 1950)

Lady sings the blues’, de Billie Holiday e Herbie Nichols (Verve, 1957)

Stars fell on Alabama’, de Frank Perkins e Mitchell Parish (Verve, 1957)

Violets for your furs’, de Matt Denis e Tom Adair (Columbia, 1958)

You’ve changed’, de M. Carey e Carl Fisher (Columbia, 1958)

I get along without you very well’, de Hoagy Carmichael (Columbia, 1958)

segunda-feira, dezembro 03, 2018

Essenciais traz entrevistas com artistas da MPB

Roberta Martinelli no estúdio da Eldorado FM de São Paulo, onde apresenta o Som a Pino

"Meninos, eu vi" é o título de uma composição de Tom Jobim e Chico Buarque, lançada em 1983. Adaptando o nome da música, proponho uma nova seção neste blog em que vou compartilhar descobertas de peças raras sonoras, no rádio ou na web. Será o segmento "Meninos e meninas, eu ouvi".

O primeiro mergulho que faço é em essenciais momentos da nossa MPB. A radialista Roberta Martinelli, que faz um belo trabalho ligado à nossa música em emissoras como Rádio e TV Cultura (Cultura Livre) e Eldorado FM (Som a Pino), é a apresentadora do podcast original da Deezer, "Essenciais".




Na série de áudios, alguns dos maiores nomes da música brasileira são entrevistados. No bate papo informal e descontraído, a discografia de cada um deles é destacada, a partir de 15 faixas selecionadas e usadas como fio condutor para percorrer a respectiva trajetória. Os episódios podem ser conferidos no Google Podcasts e no endereço da própria Deezer

Já passaram pelo podcast, desde junho deste ano, artistas como Gal Costa, Tom Zé, Gilberto Gil, Djavan, Erasmo Carlos, Elza Soares e Martinho da Vila. 


domingo, dezembro 02, 2018

Multitela: áudios do Instituto NET Claro Embratel estão disponíveis em alguns dos principais aplicativos de podcast

Tela do canal de educação e cidadania do Instituto NET Claro Embratel no Spotify


Desde 2012, anteriormente com o nome de NET Educação, a produtora Peças Raras produz podcasts em formato de reportagens, minidocs e audiodramas para a área de Responsabilidade Social da NET.



A partir da fusão com Claro e Embratel, os conteúdos passaram a abarcar também temáticas ligadas à Cidadania e ganharam mais espaço no novo portal, que traz ainda vídeos, matérias, planos de aula etc.



Agora os podcasts, que estão disponíveis nos canais de Cidadania e Educação do site, podem ser acessados também em algumas das principais plataformas desse gênero, como o Google Podcasts, o Spotify e o Pocket Casts. Basta procurar por "Instituto NET Claro Embratel" e acompanhar os conteúdos que são atualizados toda semana. 




Se você é um ouvinte à moda antiga e prefere ir direto à fonte, abaixo os endereços dos canais no portal do Instituto NET Claro Embratel:



Pelo desktop, celular, tablet... da forma que preferir, onde quer que seja, no momento que for mais apropriado, você permanece em conexão com todos os episódios que trazem reflexões importantes e entretenimento.