sexta-feira, fevereiro 04, 2011

Valores, pesos e medidas. Por Chiara Luzzati

Chiara Luzzati - foto extraída do Facebook

TEMAS DA CHIARA
publicado em 21/01/2011 no Laboratório de Temas

Valores, pesos e medidas (por Chiara Luzati)

Câncer de tireóide. Diagnóstico que assusta. E faz pensar.
Sempre acreditei que devemos tirar algo de positivo dos fatos. Mesmo os mais duros golpes da vida. Neste caso, a doença foi detectada na pessoa com quem eu havia vivido nos últimos 15 anos. Apesar do susto inicial, a precocidade com que o tumor foi identificado ajudou enormemente na cura. Bastou uma cirurgia e medidas profiláticas para que o mal fosse sanado. Mas, ele já havia deixado a semente da inquietação.
Diante de uma situação dessas, é normal que passemos a repensar nossos valores. Afinal, o que é realmente importante na vida que pode acabar a qualquer momento? Será que sou mesmo feliz? Se eu morresse amanhã poderia dizer que fiz todo o possível na busca da felicidade? A minha resposta foi não.
Com 41 anos de idade, um longo casamento com um homem extraordinário, reconhecimento profissional, estabilidade financeira, uma linda casa, vários cães amados, eu me vi diante desse “não”. Palavrinha complicada essa. Aparece como quem não quer nada, mas vai ganhando força e perturbando. Tanto que é preciso tomar uma decisão. Ou deixar tudo como está, se refestelando em uma confortável vida morna, ou mudar.
E eu mudei. Tudo. Comecei avaliando os valores. Depois passei a pesar o impacto das minhas decisões.
Deixei mais de quatro décadas de história para trás. Me separei, pedi demissão, fiz as malas e parti para o Rio de Janeiro. Recomeçar a vida estando prestes a completar 42 anos é uma experiência interessante. O resultado ainda é uma incógnita. Mas o caminho já compensa.
Descobri que eu não preciso ter tantas coisas. Acumulamos uma assustadora quantidade de bens, mas nos conformamos diante da parca experiência de vida. Na verdade, nos enganamos. Acreditamos que a pequenez não é ruim. Ou que ela não é tão pequena assim. No meu caso, sempre achei que havia vivido bastante. Comecei a trabalhar com 15 anos, casei duas vezes, a primeira com 20 anos, viajei para muitos países, tinha muitos amigos, construí uma carreira profissional de certo sucesso...
Bacana. Mas não é o suficiente para ser feliz.
Infelizmente não tenho a resposta sobre o que é suficiente. Mas hoje posso dizer que se morrer amanhã, eu tentei. E nessa busca já pude descobrir quantos amigos verdadeiros fiz ao longo da vida. Pessoas que não via há anos se ofereceram para ajudar. Comovente e encantador. Ouvintes e companheiros de trabalho se desdobrando para me dar força. E sem falar nas minhas lindas irmãs, que me apoiaram incondicionalmente. Posso dizer que sou uma privilegiada por ter tido a honra de conviver com esses seres humanos e de viver tudo o que vivi até hoje.
Aliás, eu escrevo esse texto em respeito a todos que se surpreenderam com as medidas que tomei, mas ficaram ao meu lado. Muito obrigada a cada um de vocês.
Guardo no peito uma enorme dor por ter feito meu marido sofrer, por ter deixado meus cachorros e por me afastar das pessoas queridas mudando de cidade. Mas mantenho a convicção de que o tempo fará seu trabalho, como de costume.
Chiara Luzzati é jornalista e colaboradora do Laboratório de Temas.

PEÇAS RARAS DE CHIARA


Ouça Chiara no Sofá Bandeirantes em trecho da entrevista em que a jornalista comenta sobre o estressante cotidiano que levava. A entrevista é de 22 de junho de 2009.
(se o player não estiver visível ou quiser baixar o áudio, clique aqui)

Acompanhe também um trecho do Jornal em 3 Tempos do dia 25 de agosto de 2009, quando o tradicional jornal das tardes da Rádio Bandeirantes tinha o comando de Chiara e de Paulo Galvão.
(se o player não estiver visível ou quiser baixar o áudio, clique aqui)




5 comentários:

Anônimo disse...

Primeiro saiu Haisem Abaki e os jornais das manhãs,quando eu vou para

o trabalho,foi perdendo a graça.Haisem Abaki dava gosto de ouvir,ele tem

uma ironia fina que delicia o ouvinte.Saiu,foi chefiar a Band do interior,

disseram,fiquei triste de não mais ouvi-lo mas para ele deve significar um

crescimento profissional e isso é bom...

Agora,cansada de esperar pela volta de Chiara Luzzati ao som do meu carro,

às tardes,quando saio do serviço,descubro que essa espera é em vão:Chiara

não voltará!...Saiu da Band para viver outras experiências antes que o tempo

passe e se arrependa do que não viveu...É,fico triste por não poder ouvi-la

mais(Chiara foi morar no Rio e lá procurar crescimento profissional e ser

feliz)e feliz porque ele fez o que eu gostaria de ter feito um dia...

Aqui só me resta agradecer pela alegria que ela me deu em ouvir sua voz e

suas opiniões sobre tudo,por tanto tempo e desejar que ela seja muito,muito

feliz porque alguém de voz tão bonita só pode merecer toda a felicidade do

mundo.Que Deus te proteja,Chiara!...

Neide Matsumoto
http://neidematsumoto.zip.net

Anônimo disse...

Que pena Chiara, mas torço por voce, somente hoje fiquei sabendo o moivo de sua ausência, que Deus te abençoe sempre e lembre-se do povo paulista que a admiram tanto assim como eu e te chamo carinhosamente de minha filha, bjs.

zeu souza disse...

vc é uma pessoa maravilhosa, inteligente,íntegra. admiro o seu carater. Boa sorte e espero poder te ouvir novamente um dia.

zeu souza disse...

QUE VC TENHA MUITA SORTE NESSA NOVA EMPREITADA DA VIDA. QUE DEUS TE ABENÇOE SEMPRE...

ELISEU, SJCAMPOS SP.

Julio Marques disse...

ja li e reli este texto diversas vezes. o que posso dizer desta mulher.mulher linda ,forte ,corajosa,ja se vão alguns anos sem escuta la em meu radio.pessoas como você fazem falta.