sábado, julho 02, 2011

Interferência 05 - Cinema em Seu Lar

Já imaginou ligar o rádio e assistir ao filme que está em cartaz nos cinemas da cidade? Nos anos 40, o jornalista, radialista, roteirista e diretor de cinema Otávio Gabus Mendes leva ao ar exatamente esta proposta pela Rádio Bandeirantes.

Inicialmente feita dentro do Teatro Para Você, a sessão de filmes radiofonizados logo ganha um espaço exclusivo com o nome de Cinema em seu Lar. A atração é apresentada aos domingos, no então horário nobre do rádio, às 7 da noite. Era a época em que o aparelho permanecia em local privilegiado da sala e a família se reunia em torno dele para se informar e se divertir.

Agora é hora de imaginar. Acompanhe a adaptação para o rádio do curta-metragem Mentira, de Flávia Moraes, baseado no conto A Aliança, uma das Comédias da vida Privada de Luis Fernando Veríssimo. Ouça no player abaixo as interpretações de Marcelo Duarte, Silvânia Alves e Antonio Myer:

Interferência - Cinema em Seu Lar - Curta Mentira by pecasraras


Saiba mais sobre o Cinema em Seu Lar:
Para recriar as histórias das telonas, no início, o próprio Gabus Mendes ia ao cinema e, mesmo no escuro, escrevia os diálogos. No dia seguinte, o filme estava no ar, radiofonizado. O radialista ainda cuidava da sonoplastia e integrava o elenco do radioteatro.

Um anúncio publicado no jornal Folha da Noite de 10 de agosto de 1946 (no destaque) anuncia para aquela noite de domingo a adaptação para o rádio de Indiscrição, de Peter Godfrey, que estava em cartaz. No elenco, Cassiano Mendes, Maria Estela Barros, o próprio Otávio Gabus Mendes, Moncha Rios e Aramis della Torre. O público-ouvinte acompanha a história de uma escritora solteira que alcança êxito com uma coluna sobre amor e casamento e que se vê obrigada a inventar uma falsa família na noite de Natal. A apresentação aconteceu um mês antes do falecimento precoce, aos 40 anos de idade, de Otávio Gabus Mendes.

Cinema em seu Lar tem continuidade com Ivani Ribeiro no trabalho de adaptação dos roteiros para a linguagem radiofôncia, enquanto Walter Forster liderava e dirigia o elenco de radioatroes que atuavam no programa.

Com o tempo, as próprias distribuidoras cinematográficas perceberam que a radiofonização do filme gerava publicidade. Com isso, chegam a ceder à emissora scripts até de títulos que ainda seriam lançados. É o que acontece, por exemplo, em 7 de dezembro de 1946, com a radiofonização da Comédia Romântica O Pecado de Clunny Brown

Com a substituição da imagem pelo som, a recriação da película era tão fiel que surpreendia não só aos ouvintes, mas também à crítica especializada e aos próprios participantes. No final do programa, havia espaço para a leitura das cartas enviadas pelos fãs ao elenco, que aproveitava a oportunidade para agradecer de viva voz os ouvintes.

Aqui tem mais Interferência. Ouça as edições anteriores.




Nenhum comentário: