quinta-feira, agosto 26, 2010

Demônios da Garoa: a mais perfeita tradução de Adoniran

Se você, como eu, está ligado na programação que homenageia o centenário do genial Adoniran Barbosa, deve saber que neste domingo os melhores intérpretes do sambista, os Demônios da Garoa, estão entre as atrações do Centro Cultural São Paulo.

No entanto, os ingressos para os shows do Projeto Adoniran 100 anos
deste sábado (shows de Eduardo Gudin e Quinteto em Branco e Preto) e domingo (Demônios da Garoa e Tetê Espíndola)estão esgotados.

Sugiro, para você que não se programou a tempo, que ouça a antológica entrevista dos Demônios a Paulo Galvão no Bandeirantes Acontece.

 

Clique aqui e prepare-se para muita emoção e boas risadas. No estúdio, em 31 de maio do ano passado, o grupo interpretou vários sucessos ao vivo.

Gil Gomes lhes diz na Cultura FM



O publicitário Marcelo Aquilino é autor do Twitter Queria Ter Feito, em que divide com seus seguidores ideias que gostaria de assinar.

Aqui no nosso blog/podcast Peças Raras, Thomas Roth afirmou que o jingle que gostaria de ter feito é o "Silêncio de um Chevrolet" (do saudoso Zé Rodrix).

Pois bem. Essa entrevista que compartilho agora no nosso blog é a que eu gostaria de ter conduzido. Gil Gomes é um dos destaques de uma trilogia fantástica idealizada por Arrigo Barnabé para a Cultura FM de São Paulo.

Acompanhe neste link a entrevista em que Gil revela como começou sua ligação com o rádio, além de falar sobre música clássica e MPB da melhor qualidade.

Em tempo, Gil Gomes é líder de acesso em nosso blog e atualmente está no ar pela Record AM de São Paulo.

quarta-feira, agosto 18, 2010

A força do jingle político

Em meio a tantos compromissos profissionais, tem faltado tempo para trocar ideias por este espaço.

Em breve, com os horários devidamente ajeitados, voltarei com carga total. Talvez ainda esta semana. Nos intervalos, preparo uma edição especialíssima com grandes hits políticos. Jingles utilizados em campanhas desde o início do rádio até os tempos atuais.

Enquanto a edição não vem, curta esta entrevista publicada no site da Revista Veja, em que Jean e Paulo Garfunkel dão dicas e revelam segredos que aprenderam ao longo de duas décadas de criação de jingles políticos.



Leia também a reportagem Música para ganhar eleição, diretamente do site da revista Veja.

domingo, agosto 08, 2010

Para pai que é peça rara

Comercial de rádio em homenagem ao Dia dos Pais já é peça rara, quando se compara com o volume de mensagens destinadas ao Dia das Mães.

Agora um spot de uma rede de varejo que lembre o segundo domingo de agosto é ainda mais difícil de se encontrar.

Para mudar esta imagem, em 1999, as Casas Bahia colocaram no ar uma peça radiofônica em que a emoção fala mais alto.

Ouça no player abaixo "Telefone", uma criação da agência Newcomm Bates, com produção de som de A Voz do Brasil.

(se o player não estiver visível ou quiser baixar este áudio, clique aqui)


quinta-feira, agosto 05, 2010

Bermuda Folgada - Rádio e Política

Acompanhe - no player abaixo - a primeira parte do Bermuda Folgada desta quinta, dia 05 de agosto de 2010.

(se o player não estiver visível ou quiser baixar o áudio, clique aqui)

Aqui você:
- ouve como Getúlio Vargas inaugurou o uso do rádio como instrumento de poder político e acompanha o discurso de 10 anos de governo proferido por ele na Esplanada do Ministério, em novembro de 1940;
- Diverte-se com o humor da Rádio Sucupira satirizando candidatos curiosos do Horário Eleitoral;
- fica a par de detalhes e ouve o jingle de Odorico, do filme O Bem Amado.



Na 2ª parte, o foco principal gira em torno da realização do 1º debate entre os presidenciáveis, no Grupo Bandeirantes.

(se o player não estiver visível ou quiser baixar este áudio, clique aqui)

As Bananadas de Daniel Grecco
O jornalista Daniel Grecco não teve condições de participar desta edição do programa, em virtude de atividades profissionais. Entenda melhor aqui.

segunda-feira, agosto 02, 2010

Áudio em 3D: você já ouviu algo?

                                                   Rodrigo Capote/Folhapress

A TV em 3D começou a chegar ao conhecimento do público brasileiro a partir da Copa. Agora já se fala em transmissão holográfica de imagens, no mundial de 2022 no Japão
(veja aqui)

Agora, e quanto ao som? Qual será o futuro da produção de áudio?

Li na Folha.com que a grande aposta é o áudio 3D.

Reproduzo um trecho da matéria que explica quem já investe na tecnologia por aqui e como a novidade funciona:

"Pensando nisso, a produtora de som Comando S Áudio investiu na área adquirindo o microfone Dummy Head (foto). O aparelho é uma espécie de cabeça de madeira e outros materiais que simulam a caixa craniana com microfones posicionados no local em que ficam os ouvidos. Assim, o som é captado da mesma maneira como ele é recebido pela cabeça humana.

Os microfones acoplados não são quaisquer. Eles foram fabricados de acordo com um estudo da percepção auditiva humana, segundo Marcelo Cyro, engenheiro de som da Comando S Áudio."

EXPERIMENTE
Estudos e experimentos sobre o áudio binaural já ocorrem há alguns anos. Ouça dez áudios gravados com o uso da técnica (lembre-se dos fones de ouvido!) em bit.ly/binaudio.

E da cabeça artificial, na Alemanha, você já tinha ouvido falar?
Já deve fazer mais de uma década que fiz um curso sobre criação para radioteatro com Chico de Assis. Lembro-me que o que mais me impressionou à época foi a citação de um microfone especial criado pela Rádio WDR, emissora de Colônia especializada em radioteatro. O tal microfone imitava a cabeça humana e tinha duas entradas de áudio para simular a recepção tal qual acontece em nosso crânio. A invenção, usada para captar áudios em produções radiofônicas, tinha a mesma intenção do que se diz agora em relação ao áudio 3D: oferecer uma captação que simule as características do organismo humano.

Parece que mesmo no Brasil, a tal imersão sonora não é tão nova como anunciada. Veja aqui o que encontrei a respeito:
http://www.estacaosonica.com.br/2010/03/09/binaural-muito-alem-do-5-1/


domingo, agosto 01, 2010

CBN e Rádio Globo homenageiam centenário do Corinthians



Fonte: Adnews (28/07/2010)

Compartilhe esta notícia: O Corinthians é o primeiro entre os grandes times paulistas de futebol a completar 100 anos de fundação, que serão comemorados no dia 1º de setembro. Para homenagear o clube, o SGR – Sistema Globo de Rádio – produziu três séries de reportagens que irão ao ar na CBN e na Rádio Globo, e criou um ambiente especial nos sites das emissoras (clique aqui para ir diretamente ao hot site).

Na internet, os sites da CBN e da Rádio Globo vão hospedar uma área dedicada ao Corinthians, com todo o arquivo de gols, transmissões e entrevistas do SGR. Os internautas poderão ouvir na íntegra as históricas narrações de Osmar Santos e os títulos recentes conquistados pelo clube nas vozes de Oscar Ulisses e Deva Pascovicci. Além dos áudios, foram produzidos mais de 180 vídeos com depoimentos e reportagens sobre a história do Corinthians. O hotsite terá ainda podcasts com gritos de torcida e espaço para interação com os torcedores internautas.

Já na programação diária das rádios, os ouvintes poderão conferir, entre 1º de agosto e 31 de setembro, um total de 61 reportagens especiais sobre o Corinthians, divididas em três séries. A primeira delas, “Corinthians Centenário”, vai contar a história do clube, com suas origens e conquistas, a relação com a cidade e o país, os jogos mais marcantes e as grandes rivalidades. A série “Corintianos” vai traçar um perfil das personalidades de todas as esferas sociais que associaram suas imagens ao clube. Já em “Corinthians minha história”, serão contadas histórias e lembranças de torcedores anônimos do time.

Mais Corinthians:
Clique aqui e ouça o episódio do podcast Peças Raras de 24 de maio de 2007.

Essa edição traz peças raras corinthianas. Recorde, na voz de Osmar Santos, os gols das conquistas paulistas de 1977 e de 1982, ouça trecho de entrevista do saudoso Vicente Matheus, em que ele é questionado sobre o então vice Dualibi. Tem ainda uma versão do ano de 2005 para o Hino do Corinthians interpretado por Tony Garrido.