sexta-feira, maio 22, 2009

Radiografia especial: Zé Rodrix morre aos 61 anos de idade

O músico, compositor, cantor e publicitário Zé Rodrix morreu hoje de madrugada, após dar entrada no Hospital das Clínicas, em São Paulo.

Ouça um boletim Radioescuta Peças Raras especial em homenagem a Zé Rodrix (Se o player não estiver visível, clique aqui)

O artista começou a despontar no cenário musical ao lado de Sá e Guarabyra, nos anos 1970. O trio ficou conhecido por seu inconfundível estilo, chamado rock rural. Desta época, em 1972, um dos destaques foi o jingle que gravaram para a Pepsi. Em plena ditadura militar, a letra composta por Rodrix incitava os jovens a uma festa em que os jovens lutavam para ser do jeito que queriam ser. Em suma, a música diz que as pessoas tentam determinar sua aparência e comportamento, mas uma coisa ninguém pode mudar: a escolha do seu refrigerante.

Ainda nos anos 70, outra marca na carreira de Zé Rodrix foi a gravação de Elis Regina para a música dele e de Tavito, "Casa no Campo".

Nas décadas de 80 e 90, Rodrix passou a se dedicar quase que exclusivamente à criação de jingles publicitários. Foi pioneiro ao “vender” um carro falando em emoção em vez de enumerar qualidades técnicas dos veículos, como até hoje costuma prevalecer.

A partir de 2001, voltou a gravar com Sá e Guarabyra. Além de tocar seus maiores sucessos com o trio, continuou a compor e a figurar cada vez mais na cena independente da música brasileira.


Acompanhe a participação de Zé Rodrix no Programa do Jô, em 2004, em que o artista deu voz e vida aos três maiores sucessos que compôs na década de 70.

Um comentário:

rodineisilveira disse...

Outros hits marcantes do Zé Rodrix foram os seguintes: Soy latino-americano (1976), Chamada geral (1976), O Dono da verdade (1977), Quando será? (1978), Devolve os meus LPs (1977) e o polêmico Abaixo a cueca (1980).