terça-feira, outubro 06, 2009

9 anos sem Hélio Ribeiro


Em 6 de outubro de 2000, Hélio Ribeiro morreu, aos 65 anos, vítima de uma parada cardiorespiratória, após permanecer internado por cerca de 10 dias no Hospital São Cristóvão, na Mooca, em São Paulo. O enterro aconteceu no cemitério da Quarta Parada, também na zona leste da cidade.

Desde então, formou-se o embrião daquilo que viria a se constituir no Memorial Hélio Ribeiro. A sociedade civil sem fins lucrativos tem como finalidade dar continuidade à obra daquele que é considerado um dos maiores radialistas que o Brasil já teve.

Hoje, além do site, o Memorial divulga o legado de Hélio Ribeiro nos eventos em que participa, em emissoras de rádio e também em cursos de Comunicação, Jornalismo e Publicidade, por meio de palestras proferidas nas universidades.


Ouça entrevista com integrantes do Memorial, concedida à Rádio Cumbica em 19 de março de 2008.
(se o player não estiver visível, clique aqui)

A seguir, um breve resumo sobre Hélio Ribeiro, enviado por Sidney Magrini:

Hélio Ribeiro dirigiu algumas das maiores emissoras de Rádio do Brasil (Piratininga, Difusora, Gazeta, Tupi, Jovem Pan, Capital, Bandeirantes) e apresentou seu programa O PODER DA MENSAGEM, com retransmissão em todo o Território Brasileiro nas décadas de 60, 70, 80 e 90. Foi professor de comunicações da USP, transferiu-se para os Estados Unidos onde foi redator da U.P.I., foi narrador da Paramount Pictures, Metro Goldwyn Mayer, Twentieth Century Fox, Columbia Picturs, Universal Internacional e lá em N.Y. também manteve no ar um programa de rádio.
Foi ainda correspondente nos Estados Unidos do sistema Globo-Excelsior de Jornalismo, depois sistema Globo de Rádio, e das revistas Marketing e Propaganda. Foi aprovado em concurso para Voice of América.

No Brasil, foi ainda produtor associado da Fundação Cásper Líbero e teve, no Sistema Globo de Rádio, através da Rádio Globo a apresentação da última série do programa “O PODER DA MENSAGEM”, programa que marcou indelevelmente a formação moral de várias gerações de ouvintes e teve suas conquistas e qualidades reconhecidas por grandes nomes do rádio, da televisão e dos meios de comunicação e meios publicitários do Brasil, cujos depoimentos fazem parte do acervo do MEMORIAL HÉLIO RIBEIRO.

HÉLIO RIBEIRO destacou-se ainda no meio publicitário, sendo criador de vários jingles e campanhas publicitárias famosas.

Impossível não associar Hélio Ribeiro ao Rádio.

Destacamos a seguir, na voz de Hélio Ribeiro, o mais belo e perfeito texto sobre o Rádio já escrito.

Ouça "Eu Sou o Rádio", de autoria do saudoso radialista.

Esse texto faz parte do acervo do MEMORIAL HÉLIO RIBEIRO e foi exibido e utilizado nas palestras proferidas nas Universidades que mantêm Cursos de Comunicação e Jornalismo.

FONTE: MEMORIAL HÉLIO RIBEIRO – www.helioribeiro.com.br

Um comentário:

Sakanus1 disse...

Me interessei pela história deste grande homem mas até agora não conseguí saber do que ele morreu!
É muito vago dizer que foi de parada cardiorespiratória; Se for levar ao pé da letra podemos dizer que quase todas as mortes são por parada cardiorespiratória mas não divulgam o que causou esse mal, enfarto talvez?