terça-feira, abril 12, 2011

Serginho Leite: quem tanta alegria transmitiu, agora nos faz chorar


Estou literalmente em estado de choque, após receber uma mensagem de minha esposa comunicando a morte prematura de Serginho Leite. Cresci ouvindo o genial comunicador e inigualável imitador de Zé Bettio. Lembro-me com saudade das paródias inteligentes que fez para a Jovem Pan FM. Ainda esta semana, neste blog, vou publicar alguns áudios históricos na voz de Serginho Leite, durante a passagem que teve no comando do Show de Rádio, pela Bandeirantes AM.

Por ora, reproduzo entrevista concedida pelo também saudoso Estevam Sangirardi ao programa Rádio Matraca. Ao falar do seu "Show de Rádio", Sanja deu muito valor a Serginho Leite em uma fase do programa. Acompanhe aqui.

A seguir, texto publicado no blog de Milton Neves hoje:

por Marcos Júnior

Sérgio de Souza Leite, o Serginho Leite, faleceu aos 55 anos, em 12 de abril de 2011, vítima de infarto.
Ele passou mal no dia anterior e foi internado na UTI do Hospital das Clínicas, zona sul de São Paulo. Serginho era casado com Tânia Leite, com quem teve dois filhos: Pedro e João.

Grande imitador, foi um dos nomes do "Show de Rádio" da Jovem Pan e em uma fase mais recente da Bandeirantes, fazendo vozes como Pelé, Maguila, Paulinho da Viola, Vicente Matheus e Clementina de Jesus, entre outros.

Violonista e compositor, fez inúmeras paródias e também criou jingles e participou de campanhas publicitárias, emprestando sua marcante voz para personagens como o "Tigrão" dos Sucrilhos Kellogs e o Elefante da Cica.

Serginho começou fazendo shows como violonista aos 17 anos, em bailes e orquestras na TV Tupi, em São Paulo.

Em televisão, Serginho participou de programas na TV Cultura, Record e Globo, mas foi no rádio que sua carreira ganhou maior notoriedade, como uma das principais vozes do "Show de Rádio" da Jovem Pan, um programa ao vivo, que começava tão logo terminava a rodada do futebol, com improvisações e imitações que contagiaram o público ouvinte nos anos 70 e começo dos anos 80.

Paralelamente ao trabalho na Jovem Pan-AM, ancorou um programa de notícias na Rádio Cidade FM, e por questões contratuais não apresentava-se como humorista, pois nesse setor era exclusivo da Jovem Pan.

Com o crescimento das FMs, Serginho passou para a Jovem Pan-FM, onde apresentou um programa musical.

O Brasil vivia a ditadura militar no começo dos anos 80 e as paródias musicais de Serginho Leite lhe renderam alguns problemas, quando o humorista foi diversar vezes levado  por policiais ao término dos programas para prestar esclarecimentos.

Depois teve uma passagem pelo Sistema Globo de Rádio, onde atuou na Rádio Globo FM e na Excelsior AM, também do mesmo grupo.

Voltou a fazer o "Show de Rádio" pela Rádio Capital-AM em 2005, tendo ao seu lado nomes como Weber Laganá Pinfari, Luis Henrique Romagnoli, Norival Rizzo, Babú, Doni Vieira, Olivério Júnior, e seu filho, Pedro Leite.

Serginho sofreu problemas com alcoolismo e teve momentos de melhora e recaídas, e preparava-se para montar um novo show, segundo informação de seu amigo Weber Laganá Pinfari.

CONHEÇA MAIS:
Entenda o que representou o Show de Rádio como origem dos programas que misturam humor e futebol.


2 comentários:

http://claudiaaoextremo.blogspot.com/ disse...

Triste perda...
Jovem, engraçadissimo, tb tenho saudade da época de adolescencia ouvia muito...
Pena...

João Olavo disse...

Vai deixa saudades...tbem curtia muito mix da pan, partido jovem pan (propaganda eleitoral) ele foi uma comédia...muitas saudades vai deixar..vai em paz....