terça-feira, abril 13, 2010

Trilha Audiovisual USP FM: À Procura da Felicidade

Olá, trilheiro. Olá, trilheira.
É hora de ação, ou melhor, a nossa história de hoje é de superação!


Ouça o 3º boletim da série que relaciona histórias de filmes com o mundo corporativo. Apresentada quinzenalmente no programa Trilha Profissional, minha participação vai ao ar pela USP FM às 8 da manhã de terça-feira.
(se o player não estiver visível ou quiser baixar este áudio, clique aqui)

Imagine a cena...

Você é um pai de família que faz de tudo para oferecer o melhor à esposa e ao filho pequeno. Mas isto não parece ser problema já que é representante comercial de um inovador equipamento, que oferece incríveis avanços à medicina. Com uma oportunidade destas, o melhor é investir todas as economias na aquisição de um lote do revolucionário produto. A estratégia começa a falhar quando a máquina é rejeitada em função do custo elevado. Com o mau dimensionamento do negócio, o aluguel da casa e a mensalidade da creche do filho com vencimentos atrasados e uma série de multas de trânsito, a família se desestrutura e é a mulher que passa a se desdobrar em mil e a fazer turnos consecutivos para manter as contas em dia.

Essa é a história real de Chris Gardner, exemplo de um homem que acredita no sonho de dias melhores.

O drama À PROCURA DA FELICIDADE se passa em São Francisco, nos Estados Unidos, no início dos anos 1980. Gardner, vivido nas telas por Will Smith, investe tudo o que tem em um lote de scanners portáteis que ajudam na detecção da osteoporose. A partir daí, passa os dias visitando consultórios médicos e hospitais com a esperança de ficar milionário. Em uma das mãos, a pasta de vendedor, na outra, o aparelho de 18 quilos. Mas - para os médicos - o scanner dava a sensação de ser de 18 quilates, pelo alto valor de seu custo.

Ao fracassar com as vendas, a família passa a ser sustentada pela esposa. Vivida por Thandie Newton, Linda trabalha de forma incessante para pagar as contas do lar. Porém, não agüenta a situação e decide tentar a sorte em Nova Iorque. O filho do casal, o pequeno Christopher de cinco anos, acaba ficando ao lado do pai. Interpretado por Jaden Smith, o garoto é realmente filho de Will Smith, o que aumenta a emoção transmitida pelo drama do pai que faz de tudo para manter o menino ao seu lado.

É desta forma que tem início a trilha de mais um profissional que encontra no filho a motivação necessária para correr “à procura da felicidade”. Felicidade que parece definitivamente cruzar o caminho de Gardner quando ele passa em frente à bolsa de valores e se depara com o riso estampado no rosto das pessoas e com um carro que era o sonho de consumo de 9 entre 10 americanos naqueles dias. Ao indagar o proprietário do veículo, descobre que para ser corretor de ações não é preciso ter faculdade. As únicas habilidades exigidas são lidar bem com os números e ter um bom relacionamento inter-pessoal.

Com o apoio do filho, Gardner concorre a uma vaga de estagiário em uma grande empresa e, depois de uma rigorosa seleção, é um dos escolhidos para uma experiência não remunerada de 6 meses. Descrente diante das recusas em relação ao scanner que vendia, ele acredita em uma vida melhor e – mesmo sem ganhar nada – se rende ao estágio.

Sem opção, pai e filho passam a morar na rua e depois em um albergue. Outro ponto que aumenta a força do filme é a convivência dos protagonistas com figurantes que realmente viviam nas ruas.

Movido pela perseverança, em sua procura pela felicidade, Gardner se dedica aos estudos de madrugada, quando o filho dorme. Como resultado, consegue vencer dezenas de candidatos à vaga de estágio na corretora de ações. Depois do período de experiência, em que vive como sem-teto, transforma-se em um dos mais bem sucedidos corretores da bolsa de valores americana.

À PROCURA DA FELICIDADE demonstra a importância do amor como mola propulsora para seguir em busca de uma oportunidade que possa tornar a vida melhor. Nesta trilha, nada é capaz de deter seus passos. Humilhação, fome e todo tipo de dificuldade se superam com a determinação e a esperança de que um dia seus valores morais irão lhe trazer o tão merecido sucesso na vida profissional e pessoal.

Em meio a tantos obstáculos, Gardner encontra tempo para dar uma lição de vida ao filho: “Se tem um sonho, proteja-o. Quando alguém não pode fazer algo, diz que você não pode. Se quer algo, vá atrás. Ponto”

Lembre-se: a vida, assim como os filmes, é feita de ação e, nos momentos de dificuldade, de SUPERAÇÃO.

Veja o trailer do filme:


Nenhum comentário: