quinta-feira, março 04, 2010

Centenário de Tancredo Neves

Se estivesse vivo, Tancredo Neves completaria, neste dia 4 de março de 2010, cem anos.

Para celebrar a data, o Senado prestou homenagem ao ex-presidente, que foi eleito indiretamente no início da Nova República (1985), mas acabou tendo complicações de saúde e não chegou a tomar posse.

Nesta quarta, dia 3, foi realizada a cerimônia de entrega do busto de Tancredo Neves.

Relembre a importância do momento em que Neves ascendeu para a política, em 1985.


Acompanhe aqui uma histórica reportagem conduzida por Ernesto Varela (Marcelo Tas) no comício das Diretas, que reuniu 300 mil pessoas na Praça da Sé em 25 de janeiro de 1984.


Veja a continuação da reportagem de Ernesto Varela, que termina justamente com a imagem da esperança, representada por Tancredo Neves.

O sonho e a luta do movimento Diretas Já foi capaz de reunir no mesmo palanque os agora adversários Lula e FHC.

Marcelo Tas tinha como câmera Valdeci, que na maioria das vezes era encarnado por Fernando Meireles. Nessa matéria, o original repórter revela os bastidores da cobertura jornalística em torno dos fatos políticos. É interessante ver como os jovens nomes que hoje comandam o jornalismo da Globo admitem a omissão da "vênus platinada". O depoimento de Osmar Santos, porta-voz das Diretas, é também um registro raro e histórico.

Não sei o que teria acontecido se, em vez de Sarney, Tancredo assumisse. É engraçado que me lembro muito mais da festa e da comoção que tomou conta do país quando o então pesidente foi internado do que propriamente do que falava e pensava o político. Um exemplo emblemático: no Rock'n Rio que acontecera naquele ano de 1985, no dia 15 de janeiro, data em que o político mineiro vence Maluf e alcança o maior número de votos pelo Colégio Eleitoral, tenho até agora em minha mente a apresentação do Barão Vermelho, que subiu ao palco da Cidade do Rock com uma enorme bandeira brasileira. O saudoso Cazuza, a certa altura, se enrolou nesta bandeira e dedicou Pro Dia Nascer Feliz para todos os brasileiros.

Tancredo não viveu para ver, mas desde então, há 25 anos, mesmo com muitos erros de nossos governantes, o dia nasce mais feliz do que nos outros períodos da velha república. Nunca antes na história deste país havíamos atingido a marca de mais de duas décadas de democracia.


Saiba mais:

Além do livro que aparece em destaque no início desta postagem, há uma extensa lista de publicações sobre a vida e a representatividade política de Tancredo Neves.

Nenhum comentário: